GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 4

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 4

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho.

 

INTRODUÇÃO

Já estudamos a doutrina da Escritura Sagrada. Depois, a doutrina de Deus. Na primeira parte, falamos de Deus, triunidade e trindade, e um pouco sobre Deus Pai. Depois, sobre Deus Filho, que é como nos referimos a Deus quando ele, que tudo pode, quis ser homem. Hoje falamos de Deus como Espírito Santo. Eis a Declaração doutrinária da CBB sobre o Espírito Santo.

 

3 – Deus Espírito Santo

O Espírito Santo, um em essência com o Pai e com o Filho, é pessoa divina. 1 É o Espírito da verdade.2 Atuou na criação do mundo e inspirou os homens a escreverem as Sagradas Escrituras.3 Ele ilumina os homens e os capacita a compreenderem a verdade divina.4 No dia de Pentecostes, em cumprimento final da profecia e das promessas quanto à descida do Espírito Santo, ele se manifestou de maneira singular, quando os primeiros discípulos foram batizados no Espírito, passando a fazer parte do Corpo de Cristo que é a Igreja. Suas outras manifestações, constantes no livro de Atos dos Apóstolos, confirmam a evidência de universalidade do dom do Espírito Santo a todos os que creem em Cristo. 5 O recebimento do Espírito Santo sempre ocorre quando os pecadores se convertem a Jesus Cristo, que os integra, regenerados pelo Espírito, à igreja.6 Ele dá testemunho de Jesus Cristo e o glorifica.7 Convence o mundo do pecado, da justiça e do juízo.8 Opera a regeneração do pecador perdido.9 Sela o crente para o dia da redenção final.10 Habita no crente.11 Guia-o em toda a verdade.12 Capacita-o a obedecer a vontade de Deus.13 Distribui dons aos filhos de Deus para a edificação do Corpo de Cristo e para o ministério da Igreja no mundo.14 Sua plenitude e seu fruto na vida do crente constituem condições para uma vida cristã vitoriosa e testemunhante.15

 

 

1 Gn 1.2; J23.13; Sl 51.11; 139.7-12; Is 61.1-3;  Lc 4.18,19 ; Jo 4.24; 14.16,17; 15.26; Hb 9.14; 1Jo 5.6,7; Mt 28.19
2 Jo 16.13; 14.17; 15.26
3 Gn 1.2; 2Tm 3.16; 2Pe 1.21
4 Lc 12.12; Jo 14.16,17,26; 1Co 2.10-14; Hb 9.8
5 Jl 2.28-32; At 1.5; 2.1-4; 24.29; At 2.41; 8.14-17; 10.44-47; 19.5-7; 1Co 12.12-15
6 At 2.38,39; 1Co 12.12-15
7 Jo 14.16,17; 16.13,14
8 Jo 16.8-11
9 Jo 3.5; Rm 8.9-11
10 Ef 4.30
11 Rm 8.9-11
12 Jo 16.13
13 Ef 5.16-25
14 1Co 12.7,11; Ef 4.11-13
15 Ef 5.18-21; Gl 5.22,23; At 1.8

 

 

Observe nesta declaração:

1. O Espírito Santo não é uma coisa, uma força, uma energia ou um fio desencapado dando choque nas pessoas para elas gritarem no culto. É Deus. Não é combustível para usarmos. Ele nos usa.

2. Veja no item 3 que ele é o autor das Escrituras Sagradas. Ele a produziu, ele a esclarece e ele nos conduz para dentro dela.

3. Veja no item 5, quando começou a era do Espírito. Não foi hoje. Ele não começou a agir com algumas igrejas que decretaram o ano zero do Espírito com o surgimento delas. Veja no item 7 quem tem o Espírito Santo. Ele não é propriedade de quem grita mais alto no culto.

4. Veja nos itens 8 e 9 qual sua missão junto ao mundo.

5. Veja nos itens 10 até 15 qual é a sua missão junto ao crente, em particular, e à igreja, em geral.