O DESCONCERTANTE JESUS

Isaltino Gomes Coelho Filho

Publicado originalmente na revista “Você”

“Vocês ouviram o que foi dito: ‘Não cometa adultério’. Mas eu lhes digo: Quem olhar para uma mulher e desejar possuí-la já cometeu adultério no seu coração. Portanto, se o seu olho direito faz você pecar, arranque-o e jogue-o fora. Pois é melhor perder uma parte do seu corpo do que o corpo inteiro ser atirado no inferno. Se a sua mão direita faz você pecar, corte-a e jogue-a fora. Pois é melhor perder uma parte do seu corpo do que o corpo inteiro ir para o inferno” (Mateus 5.27-30, NTLH). 

 

A palavra “adultério” soa mal. Mas seu sentido é pior. É a quebra do vínculo com uma pessoa com que se casou, é a quebra de um voto de dedicação e fidelidade. Muitos dos heróis televisivos são mostrados como gente que se relaciona fora do casamento com muita facilidade. Mas não é este o princípio bíblico para a vida de um casal. Quando chegar sua hora de casar, você quererá uma pessoa que lhe seja fiel. É justo. Desejamos alguém que nos ame e se dedique a nós, e nunca nos traia. Mas você deve assumir o propósito de ser fiel e se dedicar à pessoa com que se casará.

 

Para a Lei, o adultério era a quebra de um dos dez mandamentos (Êx 20.14). Quem falou isso foi o próprio Deus (Êx 20.1). Mas, de maneira surpreendente, Jesus comenta a declaração e muda seu sentido: “Mas eu lhes digo: Quem olhar para uma mulher e desejar possuí-la já cometeu adultério no seu coração”. Para a Lei, o pecado era fazer. Para Jesus, o pecado é desejar. Para a Lei, o pecado era um ato. Para Jesus é o desejo. Ele tirou a religião da esfera do fazer e a colocou na esfera do sentimento. O pecado não é algo externo à pessoa, mas é uma realidade interna. Alguém pode não adulterar com medo das conseqüências, e não por amor à pessoa com quem casou. Não houve mérito! Houve medo. A verdadeira conduta brota de dentro da pessoa, de seus valores, e não do patrulhamento dos outros.

 

Note que Jesus usa esta expressão: “Mas eu lhes digo”. Deus disse algo, e ele diz “mas eu vos digo”. Ele está dando uma autoridade enorme às suas próprias palavras! Não nega o que Deus disse, mas reinterpreta. Vai além do que ele disse. Jesus sempre mostrou grande respeito pelas Escrituras: “Sabemos que as Escrituras Sagradas sempre dizem a verdade…” (Jo 10.35). Ele nunca as negou, mas lhes deu novo sentido. Com base em quê? Na sua autoridade! Ele tem autoridade! “Mas eu lhes digo” mostra isso. Ele é o intérprete da Palavra de Deus. Quem queira conhecer bem a Bíblia deve fazer sua leitura tendo em vista que ela fala de Jesus: “Vocês estudam as Escrituras Sagradas porque pensam que vão encontrar nelas a vida eterna. E são elas mesmas que dão testemunho a meu favor” (Jo 5.39). Jesus é o tema central da Bíblia. Ela foi escrita por causa dele.  Abraão viu o dia de Jesus e se alegrou (Jo 8.56). Isaías também viu o dia de Jesus e também se alegrou (Jo 12.41). Moisés preferiu a afronta de Cristo que os tesouros do Egito (Hb 11.26). Tudo gira ao redor dele!

 

No episódio da Transfiguração, Pedro quis fazer uma tenda para Moisés (simbolizando a Lei), outra para Elias (simbolizando os Profetas) e a terceira para Jesus (a nova revelação). O Pai tirou Moisés e Elias de cena e disse: “Este é o meu Filho querido, que me dá muita alegria. Escutem o que ele diz!” (Mt 17.5). Devemos escutar o que Jesus diz e não o que Moisés e Elias dizem.

 

Jesus enfatiza o interior da pessoa. Com isso, aprendemos que só poderemos fazer o bem se tivermos o bem dentro de nós. A maneira de não praticar o mal é não o agasalhando no interior. Quem é limpo por dentro, é limpo por fora: “Infelizes de vocês, professores da Lei e fariseus, hipócritas! Pois vocês lavam o copo e o prato por fora, mas por dentro estes estão cheios de coisas que vocês conseguiram pela violência e pela ganância. Fariseu cego! Lave primeiro o copo por dentro, e então a parte de fora também ficará limpa!” (Mt 23.25-26).

 

Interior impuro produz atos impuros. Quem vagueia por sites pornográficos, dificilmente será uma pessoa santa. Está alimentando a impureza dentro de si. Como disse alguém: “Semeias um pensamento, colhes um ato. Semeias um ato, colhes um hábito. Semeias um hábito, colhes um caráter. Semeias um caráter, colhes um destino”. Mas tudo começa com o pensamento. Por isso, lembre-se das palavras de Jesus: “Pois a boca fala do que o coração está cheio. A pessoa boa tira o bem do seu depósito de coisas boas, e a pessoa má tira o mal do seu depósito de coisas más”. Cuide bem do seu interior! Seja limpo por dentro. Seja regido pelos valores de Deus e não pelos valores do mundo: “Pensem nas coisas lá do alto e não nas que são aqui da terra” (Cl 3.2). E lembre-se do conselho de Provérbios: “Tenha cuidado com o que você pensa, pois a sua vida é dirigida pelos seus pensamentos” (Pv 4.23).

 

Entendeu o que Jesus ensinou? Não é questão de cumprir leis, mas de ser reto e limpo. Quem se alimenta moral e espiritualmente de forma sadia, vencerá o pecado. Um índio disse a um missionário que dentro dele havia dois cachorros lutando, um bom e outro mal. O missionário perguntou: “E qual vence?”. O índio respondeu: “O que eu alimento melhor”. Alimente-se de coisas boas!

 

Jesus ensina que a verdadeira religião é obedecer a ele e à sua Palavra. E também que devemos ser responsáveis nos votos e compromisso que assumimos.  Por último, lembre-se: pureza sexual não está fora de moda. Para superá-la, tenho um interior limpo.