GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 9

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 9

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho.

 

INTRODUÇÃO

Começamos a estudar a doutrina da salvação. É simples, mas profunda. Não é apenas “Jesus salva”, mas tem implicações extraordinárias em nossa vida. A DD da CBB assim a define: “É um dom gratuito que Deus oferece a todos os homens e que compreende a regeneração, a justificação, a santificação e a glorificação”. Vimos, então, a introdução à doutrina e depois estudamos “Regeneração”. Hoje estudamos “Justificação”. Depois veremos os demais tópicos.

 

JUSTIFICAÇÃO – A justificação, que ocorre simultaneamente com a regeneração, é o ato pelo qual Deus, considerando os méritos do sacrifício de Cristo, absolve, no perdão, o homem de seus pecados e o declara justo, capacitando-o para uma vida de retidão diante de Deus e de correção diante dos homens (1). Essa graça é concedida não por causa de quaisquer obras meritórias praticadas pelo homem mas por meio de sua fé em Cristo (2)
(1) Is 53.11; Rm 8.33; 3.24

(2) Rm 5.1; At 3.19; Mt 9.6; 2Co 5.21; 1Co 1.30

OBSERVAÇÕES

1. A justificação é o coração do evangelho. Como um homem acusado e culpado pode ser declarado perdoado? Ele não pode. Mas na conversão ele se torna outra pessoa. Assim, regeneração (novo nascimento) e justificação caminham juntas. Você é culpado e está condenado. Quando se converte, nasce de novo, é outra pessoa e assim seus pecados não podem ser cobrados. Aquela pessoa que você era morreu. Foi regenerado e assim justificado. Não pode ser acusado porque Deus o perdoou: Romanos 8.33. Perdoou gratuitamente por causa da obra de Jesus: Romanos 3.24. Justificação significa que fomos absolvidos. Somos culpados, mas quando cremos em Cristo somos declarados inocentes.

2. A justificação não é apenas a declaração de nossa inocência, mas nos dá uma vida nova para vivermos.  Bem diz a DD: “capacitando-o para uma vida de retidão diante de Deus e de correção diante dos homens”. Muitas vezes as pessoas dizem: “Ah, se eu pudesse começar de novo!”. A justificação significa isto: é possível começar de novo. Fomos perdoados. Fomos absolvidos. Aquele pecador culpado morreu e em seu lugar surgiu uma pessoa absolvida. Cristo carregou nossos pecados no Calvário.

3. A justificação não vem pelo que fazemos, mas pela obra de Jesus. Esta é a diferença fundamental entre o Catolicismo e o Protestantismo. Para os católicos a salvação é produto de obras; para os protestantes e evangélicos tradicionais (porque há evangélicos que não falam de salvação, só de bênçãos) a salvação é produto da obra efetuada por Jesus na cruz e nos apossamos dela pela fé: Efésios 2.8-10. Para nós, as obras não salvam, mas mostram que fomos salvos. No Catolicismo as pessoas “podem” se salvar pelo que fazem. No Protestantismo, elas são salvas pelo que Cristo fez. E, diferentemente do catolicismo, o perdão não nos vem pela Igreja, mas por Jesus. A Igreja não salva, mas é a congregação dos salvos.