GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 14 – Igreja (2ª parte)

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 14

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho.

 

INTRODUÇÃO

Começamos hoje o estudo sobre igreja. No AT não existe igreja. Só no NT, e ela surge após Pedro confessar Jesus como o Cristo, o Filho do Deus Vivo (Mt 16.16-18). Após a confissão de Pedro Jesus declara que edificará sua igreja. Todo o NT, após os evangelhos, trata da igreja. Vamos pensar sobre ela.

IGREJA – 1ª. PARTE

Igreja é uma congregação local de pessoas regeneradas e batizadas após profissão de fé. É nesse sentido que a palavra “igreja” é empregada no maior número de vezes nos livros do Novo Testamento (1). Tais congregações são constituídas por livre vontade dessas pessoas com finalidade de prestarem culto a Deus, observarem as ordenanças de Jesus, meditarem nos ensinamentos da Bíblia para a edificação mútua e para a propagação do evangelho (2). As igrejas neotestamentárias são autônomas, têm governo democrático, praticam a disciplina e se regem em todas as questões espirituais e doutrinárias exclusivamente pelas palavras de Deus, sob a orientação do Espírito Santo (3). Há nas igrejas, segundo as Escrituras, duas espécies de oficiais: pastores e diáconos. As igrejas devem relacionar-se com as demais igrejas da mesma fé e ordem e cooperar, voluntariamente, nas atividades do reino de Deus. O relacionamento com outras entidades, quer seja de natureza eclesiástica ou outra, não deve envolver a violação da consciência ou o comprometimento da lealdade a Cristo e sua palavra. Cada igreja é um templo do Espírito Santo (4). Há também no Novo Testamento um outro sentido da palavra “igreja”, em que ela aparece como a reunião universal dos remidos de todos os tempos, estabelecida por Jesus Cristo e sobre ele edificada, constituindo-se no corpo espiritual do Senhor, do qual ele mesmo é a cabeça. Sua unidade é de natureza espiritual e se expressa pelo amor fraternal, pela harmonia e cooperação voluntária na realização dos propósitos comuns do reino de Deus (5).
(1) Mt 18.17; At 5.11; 20.17-28; 1Co 4.17

(2) At 2.41,42

(3) Mt 18.15-17

(4) At 20.17,28; Tt 1.5-9; 1Tm 3.1-13

(5) Mt 16.18; Cl 1.18; Hb 12.22-24; Ef 1.22,23

 

OBSERVAÇÕES

1. “Igreja” é o grego ekklesia, “chamados para fora”. Era a assembleia dos cidadãos gregos chamados a tomarem decisões. Jesus deve ter usado qahal, “comunidade, reunião, congregação”. A ênfase é em gente, não prédio ou instituição. Igreja é gente e não prédio ou instituição. No conceito católico, a Igreja é uma instituição. No protestante é gente. Lutero preferia o termo Gemeine (alemão antigo, hoje Gemeinde) ao termo Kirche, que como church (inglês) e curia (latim) enfatizavam a casa do Senhor, o prédio.  A ideia bíblica é de pessoas que creem, como Gemeine sugere.   

2. Igreja é uma congregação de pessoas que creram e foram batizadas. Não é um evento institucional, nem social, mas espiritual. Quem crê deve ser batizado e só pode ser batizado quem crê (At 8.36-37).

3. O fundamento da igreja é a crença em que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus. Ele não perguntou o que achavam de sua ética, de seus ensinos ou de seus milagres, mas dele. O Senhor da igreja é Jesus. Hoje Cristo está sendo minimizado em sua Igreja, o que é arma diabólica. E travestida de espiritualidade, porque se põe o foco no Espírito Santo: “Estamos na onda do Espírito!”. Todo desvio de foco é heresia. Basta ler o NT para ver que Cristo é o Senhor da Igreja e das igrejas e não o Espírito Santo. Não há hierarquismo na Trindade, mas a base da Igreja e das igrejas é a segunda pessoa, o Filho, não a terceira.