GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 16 – “ordenanças”

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 16

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho.

 

INTRODUÇÃO

Não temos sacramentos (atos que conferem graça). Temos “ordenanças”, de “ordem”. Jesus deixou duas ordens litúrgicas à Igreja. Elas são a ceia do Senhor (não “santa ceia”, mas “ceia”, simplesmente) e “batismo” (não “santo batismo”). Veremos as duas ordenanças do Senhor Jesus à Igreja. Elas tomarão dois estudos.

IX- O BATISMO E A CEIA DO SENHOR

O batismo e a ceia do Senhor são as duas ordenanças da igreja estabelecidas pelo próprio Jesus Cristo, sendo ambas de natureza simbólica (1). O batismo consiste na imersão do crente em água, após sua pública profissão de fé em Jesus Cristo como Salvador único, suficiente e pessoal (2). Simboliza a morte e sepultamento do velho homem e a ressurreição para uma nova vida em identificação com a morte, sepultamento e ressurreição do Senhor Jesus Cristo e também prenúncio da ressurreição dos remidos (3).
O batismo, que é condição para ser membro de uma igreja, deve ser ministrado sob a invocação do nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (4). A ceia do Senhor é uma cerimônia da igreja reunida, comemorativa e proclamadora da morte do Senhor Jesus Cristo, simbolizada por meio dos elementos utilizados: O pão e o vinho (5). Nesse memorial o pão representa seu corpo dado por nós no Calvário e o vinho simboliza o seu sangue derramado (6) A ceia do Senhor deve ser celebrada pelas igrejas até a volta de Cristo e sua celebração pressupõe o batismo bíblico e o cuidadoso exame íntimo dos participantes (7).

(1) Mt 3.5,6,13-17; Jo 3.22,23; 4.1,2; 1Co 11.20,23-30
(2) At 2.41,42; 8.12,36-39; 10.47,48
(3) Rm 6.3-5; Gl 3.27; Cl 2.12
(4) Mt 28.19; At 2.38,41,42; 10.48
(5) e (6) Mt 26.26-29; 1Co 10.16,17-21; 11.23-29
(7) Mt 26.29; 1Co 11.26-28; At 2.42; 20.4-8

OBSERVAÇÕES

1. O batismo pressupõe volição, isto é, vontade. A pessoa precisa querer o batismo, após confessar seus pecados e crer (Mateus 3.6, 8, e Atos 8.36-37). O batismo de inconscientes é estranho à Bíblia. A palavra grega é baptizô, que significa “mergulhar”, “imergir”. Só há batismo se houver imersão. A Bíblia de Jerusalém, que é católica, diz em nota de rodapé, em Romanos 64: “O ‘banho’ por imersão na água (sentido etimológico de ‘batizar’) sepulta o pecador na morte de Cristo”.

2. O batismo tem dois aspectos: a imersão e a emersão. Na imersão, quando a pessoa é mergulhada é, simbolicamente, sepultada com Cristo (Rm 6.4). Quando emerge, simbolicamente, ressuscita para uma nova vida. O batismo não é mero ato social, mas tem uma profunda mensagem teológica.

3. A emersão, além de simbolizar a nova vida atual do cristão, lembra a ressurreição futura, para vida eterna com Cristo (Romanos 6.5, 8).

4. O batismo deve ser em nome da Trindade (Mt 28.19), embora a Igreja batizasse em nome de Jesus (At 2.38 e 10.48). Não deve ser visto como contradição. É apenas a indicação de que a Igreja começou a equiparar Jesus com o Pai e com o Espírito Santo, em sua liturgia. No AT o Pai e o Espírito são mencionados, mas a Igreja começou a atribuir a Jesus o status de pessoa divina.