GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 21 – Evangelização e missões

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 21

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho.

 

INTRODUÇÃO

Evangelização e missões estão no DNA da igreja de Cristo. Jesus foi missionário, tinha coração missionário e pediu que a igreja orasse por evangelistas e missionários (Mt 9.35-38). Muitos crentes enxergam vida cristã como ser abençoado e receber coisas de Deus. Vida cristã é uma vida dada a Deus para disseminar o nome de Jesus. Uma igreja batista que não seja evangelística nem missionária é um despropósito. Um batista que não reparta sua fé e ache que os convertidos um dia vão aparecer, pois Deus os trará, não entendeu o evangelho. Eis o que diz nossa Declaração Doutrinária sobre o tema.

 

XI. EVANGELIZAÇÃO E MISSÕES

A missão primordial do povo de Deus é a evangelização do mundo, visando à reconciliação do homem com Deus (1). É dever de todo discípulo de Jesus Cristo e de todas as igrejas proclamar, pelo exemplo e pelas palavras, a realidade do Evangelho, procurando fazer novos discípulos de Jesus Cristo em todas as nações, cabendo às igrejas batizá-los a observar todas as coisas que Jesus ordenou (2). A responsabilidade da evangelização estende-se até aos confins da terra e por isso as igrejas devem promover a obra de missões, rogando sempre ao Senhor que envie obreiros para a sua seara (3).

(1) Mt 28.19,20; Jo 17.20; At 1.8; 13.2,3
(2) Mt 28.18-20; Lc 24.46-49; Jo 17.20
(3) Mt 28.19; At 1.8; Rm 10.13-15

OBSERVAÇÕES

1. De acordo com o item 1 podemos dizer que a igreja é a única instituição do mundo que existe em função dos que não são seus membros. Ela existe para glorificar a Deus e para alcançar os sem Cristo. Nossa razão de ser não somos nós. É Deus e os sem salvação.

2. Evangelização não é tarefa do pastor, mas de toda a igreja. Como disse alguém: “Evangelização é um mendigo dizendo a outro mendigo onde encontrar pão”. Éramos mendigos espirituais e encontramos o pão da vida. Temos que dizer aos outros onde encontrá-lo.

3. Jesus sabia que sua igreja iria se apaixonar por questiúnculas mais que pela evangelização. É impressionante como a igreja encontra causas pelas quais se apaixonar e ocupar-se, sem cumprir sua missão. No passado era a segunda bênção e dons carismáticos. Hoje são bênçãos e perspectivas teológicas particulares que são superdimensionadas. Há gente mais ocupada, por exemplo, com doutrinas e teólogos do passado que com a salvação dos perdidos. Há gente mais ligada em Calvino, Tillich, batismo no Espírito Santo, prosperidade e outras doutrinas que com evangelização e missões. Há gente mais preocupada com sua carreira pessoal no ministério e com a igreja-empresa que com os perdidos.

4. Em Mateus 9.38 (“mande obreiros”) o verbo “mande” é o mesmo verbo “foi expulso” em Mateus 9.33 (“o demônio foi expulso”). É preciso orar por obreiros que amem evangelização e missões para que o Espírito os expulse de sua zona de conforto. A igreja precisa sair de sua zona de conforto e ser evangelística e missionária.

5. Quando uma igreja ama evangelização e missões os convertidos vão aparecendo. Não num passe mágica, mas como fruto da obra do Espírito Santo valendo-se da instrumentalidade da visão da igreja. Uma igreja que não ama evangelização e missões não é digna do nome de “igreja de Cristo”.