GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 25 – Família

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 25

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho.

 

INTRODUÇÃO

Há um grande esforço hoje para desmanchar a família. Ela é a base da sociedade. Quando é bem estruturada ela mantém a sociedade bem estruturada. Desmontada, a sociedade entra em desordem. A alguém interessa o seu desmanche. Um deputado propôs o levantamento de uma estátua à prostituta, reconhecendo os grandes benefícios que ela trouxe à sociedade brasileira. Por que não uma estatua à mãe, que trouxe muito mais benefícios? Por que a insistência em declarar a família falida, sem olhar para muitas famílias que vivem bem, em harmonia? Por que o foco nas fracassadas, mostrando-as como regra, e não nas estruturadas, mostrando-as como modelo? Qual nosso entendimento sobre a família?

XVII – FAMÍLIA

A família, criada por Deus para o bem do homem, é a primeira instituição da sociedade. Sua base é o casamento monogâmico e duradouro, por toda a vida, só podendo ser desfeito pela morte ou pela infidelidade conjugal (1). O propósito imediato da família é glorificar a Deus e prover a satisfação das necessidades humanas de comunhão, educação, companheirismo, segurança, preservação da espécie e bem assim o perfeito ajustamento da pessoa humana em todas as suas dimensões (2) Caída em virtude do pecado, Deus provê para ela, mediante a fé em Cristo, a bênção da salvação temporal e eterna, e quando salva poderá cumprir seus fins temporais e promover a glória de Deus (3).


(1) Gn 1.7; Js 24.15; 1Rs 2.1-3; Ml 2.10
(2) Gn 1.28; Sl 127.1-5; Ec 4.9-13
(3) At 16.31,34

OBSERVAÇÕES

1. A família é o propósito divino para a humanidade. Não são tribos ou entidades sociais e políticas, mas a família, como base de tudo. Ela tem fundamento espiritual, desde o Éden, onde foi constituída por Deus (Gn 2.24). Somos inseridos em uma família quando nascemos. Nela somos cuidados e socializados. Foi o método de Deus para nos criarmos. Amemos nossa família. Menos queixas e mais autodoação será mais útil. Lembre-se que Jesus teve família e era submisso aos pais (Lc 2.51).

2. Atenção a isto: Sua base é o casamento monogâmico e duradouro, por toda a vida, só podendo ser desfeito pela morte ou pela infidelidade conjugal. Casamento, o início de uma nova família, é para sempre. Divórcio é concessão e não regra (Mc 10.5). Casamento requer investimento. Família requer investimento. Muita gente não investe e quer apenas os dividendos. As pessoas hoje buscam felicidade não o tornar as outras felizes. Essa visão prejudica em muito uma família. Família é lugar de autodoação.

3. Atenção ao item (2): O propósito imediato da família é glorificar a Deus e prover a satisfação das necessidades humanas de comunhão, educação, companheirismo, segurança, preservação da espécie e bem assim o perfeito ajustamento da pessoa humana em todas as suas dimensões. Constituímos famílias para Deus, em primeiro lugar. Depois para nós. A visão excessivamente humanista do casamento, tirando-lhe seu aspecto espiritual prejudica muitos lares. Na casa de Priscila e Áquila havia uma igreja (Rm 16.3-5a). A casa de cada família crente deveria ser uma igreja. Consagre seu lar para Jesus! Firme seu lar sobre valores espirituais.

4. Uma família cristã, que vive o evangelho, deixa marcas nos filhos e netos (2Tm 1.5, At 21.8-9). Neste segundo texto, veja-se que Paulo dá ao diácono Felipe o título de “evangelista”. Suas filhas seguiam o caminho do pai. Nossos filhos precisam seguir nosso caminho espiritual.

5. Sobre Abrão e Isaque, no momento mais difícil da vida dos dois: “E foram caminhando juntos” (Gn 22.6). Que pais e filhos saibam caminhar juntos, inclusive nos momentos mais difíceis.