HEBREUS 5.1-10 – “E foi resolvido por Ele!”

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

ESTUDO BÍBLICO EM HEBREUS – 6.2.2013

HEBREUS 5.1-10 – “E foi resolvido por Ele!”

 

INTRODUÇÃO

A intermediação entre Deus e o homem foi pedida pelos homens (Êx 20.18-19). Sua função era resolver os problemas de relacionamento entre um Deus Santo e homens pecadores. No fundo, a questão era o pecado, que turbou o relacionamento, desde Gênesis 3. No último estudo vimos que esta questão foi resolvida para sempre por Jesus. Agora, o autor explica como seu deu isso. Ele faz analogia de Jesus com os sacerdotes do Antigo Testamento. Vejamos e entendamos: o problema foi resolvido. E por Ele! Tinha que ser por Ele!

 

1. A MISSÃO DO SUMO SACERDOTE – VV. 1-3

Era escolhido para representar os homens diante de Deus (v. 1). Agia a favor da humanidade, e oferecia tanto presentes a Deus como sacrifícios pelos pecados. Era o mediador no relacionamento. Por ser humano, entendia bem as fraquezas humanas (v. 2). Mas ele tinha que acertar suas contas pessoais com Deus (v. 3). Era uma tarefa que nunca se esgotava. O perdão tinha prazo de validade. Tudo que os homens podem fazer é remediar. Um “tampão”. O sumo sacerdote não resolvia definitivamente.

2. A ESCOLHA DO SUMO SACERDOTE – VV. 4-6

A função não era para qualquer um (v. 4). Deus escolheu a família de Arão. Dela saíam os sacerdotes. Era desígnio divino. O homem não podia chegar como queria, mas como Deus estabelecia. Hoje, os homens querem chegar do seu modo: “Para Deus o que vale é a intenção”. Deus escolheu Jesus (v. 5). O autor cita o Salmo 2.7 e 110.4, ambos messiânicos, e os aplica a Jesus. Repete a ideia no v. 6. O problema seria resolvido, nos moldes de Deus, e não nos do homem. Nós não fazemos as regras. Deus as fez. O caminho escolhido por ele foi Jesus.

3. A AÇÃO DO SUMO SACERDOTE – VV. 7-10

Jesus intercedeu por si, como os sumos sacerdotes faziam (v. 7). É uma alusão a Marcos 14.32-42. É o terceiro choro de Jesus, quando ele chorou por si. “Àquele que o podia salvar da morte” e “tendo sido ouvido” (v. 7). Mas ele morreu! Como foi ouvido? Pela ressurreição: Atos 2.26-27, 31-32. Foi humano em tudo: na dor, no choro e na morte. “Aprendeu a obediência” (v. 8). Jesus aprendeu a obedecer. Há gente que nunca aprende nada. Já sabe tudo! Que saibamos aprender por intermédio das aflições, como ele! As aflições ensinam! “Aperfeiçoado” (isto é, com a obra completa), tornou-se “fonte de salvação eterna”. Agora é com ele, Jesus!

CONCLUSÃO

Foi tudo resolvido. Por ele, Jesus, o sumo sacerdote de nossa confissão. Não podia ser por um anjo, que eles não são humanos. Mas não podia ser por um homem, porque os sumos sacerdotes não resolviam. Seu perdão tinha prazo de validade: um ano. Os homens fazem remendos e tampões para seus problemas. Jesus era homem, sabia o que era fraqueza. Mas era Deus. Sabia o que era perfeição. Ele, o Deus-Homem, resolveu. De uma vez por todas!