A MÃE QUE NUNCA ENVELHECE (E PERMANECE ATLÉTICA…)

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 28.4.13

A mãe que nunca envelhece e permanece atlética é Deus. Não se preocupem. Não enveredarei por esse negócio de dizer que Deus é pai e é mãe, que dizer que ele é pai é machismo, e todo aquele papo de politicamente correto. Abomino bobeira.

Fazíamos o culto doméstico no dia 24.4. A meditação se intitulava “Sustentado” e o texto base era Isaías 46.1-4, em que Deus diz carregou seu povo desde o ventre, sempre o sustentou. Cheguei ao versículo 4 (“Eu serei o mesmo até quando os vossos cabelos brancos chegarem e ainda na idade avançada vos sustentarei”), e Meacir disse: “Olha aí, bem, isso é conosco!”. Eu disse: “É mesmo”. Enquanto ela lia o comentário do livro “Presente diário”, minha mente orbitou ao redor do texto. Acompanhei-a pensando no texto.

Deus carregou seu povo no ventre: “a quem tenho carregado desde o ventre materno e segurado desde o dia do nascimento” (v. 2). Ele criou seu povo: “Eu vos criei…” (v.4). Os filhos crescem e um dia não dá mais para segurá-los no colo. Meu pai tem 85 anos. Não me carregará no colo. Meu filho Beny tem 1,92m e passou dos cem quilos. Não dá para carregá-lo no colo. Os filhos ficam pesados e os pais envelhecem e enfraquecem.

Deus não envelhece. Nem enfraquece. “Eu serei o mesmo até quando os vossos cabelos brancos chegarem e ainda na idade avançada Eu vos sustentarei; Eu vos criei e vos conduzirei; sim, Eu vos levarei e vos livrarei” (v. 4). Deus é a mãe que carregou filho no ventre, criou-o, o filho envelheceu e ela ainda o carrega no colo.

Descobri que sou idoso. Meus documentos o dizem, embora a mente ainda não tenha assimilado. Não tive tempo. Ando muito ocupado para envelhecer. Mas os anos passaram. Os cabelos brancos chegaram (pelo menos não foram embora). O Deus que me gerou (“Tu formaste o íntimo do meu ser e me teceste no ventre de minha mãe” – Sl 139.13) sempre me conduziu. Mesmo quando eu não o conhecia. Muitas vezes estive cansado, ferido mesmo. Sou pastor. Há ovelhas hábeis em ferir pastores. Há pastores que sabem ferir um colega. Houve momentos em que estive muito machucado. A mãe que nunca envelhece e permanece atlética me carregou no colo.

Quando você estiver machucado a ponto de nem poder andar, lembre-se: seu Deus tem a força e o amor de um Pai e a ternura e o cuidado de uma mãe. Meu pai, diácono batista, ora por mim diariamente. Ele me disse. Creio nele. Mas ele não pode mais cuidar de mim. Eu preciso cuidar dele. Um dia, meus filhos, de uma forma ou de outra, terão que cuidar de mim. Mas eu tenho um Pai Celeste que sempre cuida de mim. Até o fim da vida.

Descanse em Deus. Entregue-se a ele. Ele é Pai. Lembre-se de Jesus, chamado de “Pai da eternidade”. Creia nele. Você sempre será carregado no colo no momento de fraqueza.