HEBREUS 6.13-20 – “A promessa de Deus é imutável”

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

ESTUDO BÍBLICO EM HEBREUS – 3.4.2013

HEBREUS 6.13-20 – “A promessa de Deus é imutável”

 

INTRODUÇÃO

O título vem da King James. O autor falou da herança prometida. Agora expõe as bases da certeza desta herança, e como ela se destina aos descendentes espirituais de Abraão. Elas são dos que creem em Jesus. Sua apropriação não é por etnia, mas por causa de obra sacerdotal de Cristo. Vejamos isso.

1. DEUS FEZ UMA PROMESSA E JUROU POR ELA – VV. 13-16

Naquele tempo, como hoje, era hábito jurar. Deus jurou por si (Gn 22.16-17), que é o maior empenho de palavra que se pode fazer (v. 13). No contexto de Gênesis 22, o motivo da promessa com juramento foi que Abraão lhe provou seu amor, através da obediência. Além disso, esperou com paciência (v. 15). Nunca descreu nem desanimou. O juramento acabava com a discussão (v. 16). Quem jurou empenhou a palavra. Ora, Deus empenhou sua palavra. Não há o que discutir. Ele se agrada do amor e da fidelidade com ele e recompensa isto. Por que eles estavam desanimando? Por que alguns entre nós desanimam? Deus jurou!

 

2. A PROMESSA QUE DEUS FEZ E PELA QUAL JUROU É PARA NÓS – VV. 17-20

Não se restringe à descendência biológica de Abraão. O autor não discute o lugar de Israel no novo pacto, mas afirma que aquelas promessas (vv. 14, 17) são para nós. Três vezes usa “nós” (vv. 18, 19, 20). E deixa três ensinos: (1) Devemos nos refugiar nesta esperança, pois Deus não mente (v. 18); na crise e no desânimo, lembremo-nos das suas promessas; (2) Esta esperança é nossa âncora na turbulência; não está no mar, mas no “santuário interior” (v. 19), o debir, onde só o sumo sacerdote entrava; (3) Ela é possível porque Jesus foi o sumo sacerdote que entrou no debir, e resolveu o problema do relacionamento com Deus para sempre.

 

 

CONCLUSÃO

Agora o autor tem uma questão pela frente: mostrar como Jesus, que não era sacerdote, entrou no debir. Fará isso daqui para frente. Mas deixou bem claro: não caiam ao lado, como “aqueles”. Fiquem firmes, pois as promessas de Deus são nossa âncora, e elas nos permitem viver na firmeza de fé.