Arquivos da categoria: Sermões

FUGA DA HISTÓRIA E DA RAZÃO

Isaltino Gomes Coelho Filho

              Nas palestras que apresentou no Trinity College, em Glascow, o teólogo suíço Emil Brunner focalizou os escândalos do cristianismo ao mundo da razão. A primeira palestra abordou o escândalo da revelação histórica. Ele comenta a recusa do homem em aceitar que em um determinado período da história, em três décadas, Deus esteve presente fisicamente no mundo, fez história, e todo o destino da humanidade foi definido neste período. Isto soa como non sense.  Além disto, é um absurdo  crer que Deus escolheu um povo, Israel. Por que não a Índia? Por que não outro mais adiantado? Por que não falou com todos? Os mórmons “resolveram” isto. Não deixaram os Estados Unidos para trás. Fizeram surgir uma “revelação” nos States… O mormonismo resolveu este complexo de inferioridade norteamericano (“Deus fez uma revelação aqui, também!”).

Continue lendo FUGA DA HISTÓRIA E DA RAZÃO

Por quê?

Um sermão pregado pelo Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho no sepultamento de uma menina de colo, dirigido particularmente a seus pais, embora destinado a toda a igreja. Os nomes da menina e dos pais são omitidos, mas a mensagem é publicada na expectativa de que ajude alguém.

Esta é a primeira pergunta que nos vem à mente: “por quê?”.

Por que motivo Deus leva uma criança inocente, privando-a da vida, e permite a existência de tantos patifes e bandidos? O rabino Kushner, um dos mais lúcidos do judaísmo contemporâneo, escreveu um livro intitulado Quando Coisas Ruins Acontecem Com Pessoas Boas. Não tratou de teorias ocas e de palavras rebuscadas. Partiu de uma situação pessoal. Seu filho foi acometido de progeria, envelhecimento precoce. Com oito anos de idade já estava calvo, perdera os dentes e tinha a pele enrugada. Faleceu aos treze anos de idade, aparentando oitenta. “Por quê?”, foi a pergunta que ele se fez a si mesmo.

Perdi minha mãe aos meus catorze anos. Ela estava com trinta e dois anos. Esta foi minha pergunta: “Por quê?”. Por que há tantas mães velhas e a minha morre jovem? Por que tinha que ser a minha? São dois aspectos da pergunta: “Por que aconteceu?” e “Por que comigo?”.

Qual é a resposta?

Continue lendo Por quê?