VIDAS TRANCADAS

VIDAS TRANCADAS

Isaltino Gomes Coelho Filho

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 17 de fevereiro de 2013

Rachel de Queiroz tem um conto intitulado Tangerine Girl, sobre uma jovem que se enamora de um marinheiro americano que sobrevoa diariamente seu quintal, num dirigível. Ela idealiza o romance com o marinheiro. Só que não era um marinheiro. Eram vários, e nenhum, em particular, apaixonado por ela. Eram rapazes corteses, que a tratavam bem, na solidão em que viviam, e em resposta a um aceno seu, inicial. Ela se tornou uma espécie de mascote do regimento. Mas há uma bela frase de Rachel, mostrando o sentimento do primeiro marinheiro: “O marinheiro agitou-se todo com aquele adeus. Várias vezes já sobrevoara aquela casa, vira gente embaixo entrando e saindo; e pensara quão distantes uns dos outros vivem os homens, quão indiferentes passam entre si, cada um trancado na sua vida”. Continue lendo VIDAS TRANCADAS

VONTADE DE DEUS E ATOS DAS PESSOAS

VONTADE DE DEUS E ATOS DAS PESSOAS

Isaltino Gomes Coelho Filho

“Ele os ensinava, dizendo: Não está escrito: a minha casa será chamada casa de oração para todas as nações? Mas vós a transformastes num antro de assaltantes” (Marcos 11.17, Almeida Século 21)

“Mas”. Você conhece esta palavra. É uma conjunção adversativa. Sua função é estabelecer um contraste entre duas afirmações. Há um “mas” na palavra de Jesus que encima este artigo. Na primeira sentença, encontramos o que Deus desejava que o templo de Jerusalém fosse: uma casa que atraísse pessoas de todas as nações. Nela, as pessoas de todas as raças poderiam orar a ele. Na segunda, iniciada pela adversativa, o que os homens fizeram: transformaram-na num antro, um covil, de assaltantes. Na primeira, a vontade de Deus. Na segunda, o que os atos das pessoas produziram. Continue lendo VONTADE DE DEUS E ATOS DAS PESSOAS

HEBREUS 3.07-19 – “Você entrou no descanso?”

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

ESTUDO BÍBLICO EM HEBREUS – 6.2.2013

HEBREUS 3.07-19 – “Você entrou no descanso?”

INTRODUÇÃO

Viemos até o versículo 6. O teor muda, agora. De Moisés e Jesus para Israel e Igreja. Libertado da escravidão e tendo a promessa de Canaã, Israel quis voltar ao Egito. Aquela igreja, libertada do mundo e das regrinhas do judaísmo, também queria voltar ao passado. Os destinatários da carta, cristãos, estavam sendo incrédulos e rebeldes. Como os hebreus. Três ideias servem de estrutura do texto: (1) Um descanso não apropriado; (2) Um procedimento que não deve ser imitado; (3) Uma frustração que pode ser evitada. Vejamos isso.

  Continue lendo HEBREUS 3.07-19 – “Você entrou no descanso?”

MORSE, BEATLES E JESUS

Isaltino Gomes Coelho Filho

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 10 de fevereiro de 2013

Quando Samuel Morse inventou o telégrafo, há mais de um século, comentou: “Como Deus deve ter ficado perturbado!”. Hoje, o telégrafo é vencido pelo fax, pelo e-mail e outros. Se Morse fosse vivo, como ficaria perturbado! Sua invenção, que ele julgava tão fantástica, é nula, e Deus segue imperturbável. E o cristianismo cresce, mais que em qualquer época. Continue lendo MORSE, BEATLES E JESUS

INDIVIDUALISMO E COOPERAÇÃO

Isaltino Gomes Coelho Filho

 

Sei que é lugar comum, mas começo por aqui: o cenário evangélico contemporâneo é uma balbúrdia. Inclusive o nosso. Várias razões podem ser aduzidas por pessoas mais gabaritadas que eu. Mas uma razão que me salta aos olhos é o excessivo individualismo de líderes, individualismo que contamina as igrejas. O sistema congregacional, nosso modelo eclesiológico, soa-me biblicamente correto, mas parece-me favorecer o personalismo. O líder se refugia em uma torre de marfim e brada sua autonomia e a de sua igreja (conceitos nos quais creio e que esposo) como uma muralha a objeções aos seus projetos. Continue lendo INDIVIDUALISMO E COOPERAÇÃO

A PALAVRA QUE DESARMA

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 3.2.13

Fazíamos o culto doméstico no dia 30 de janeiro. Usamos o livrete “Presente diário”, e a meditação era sobre Ana. Sempre lemos o texto designado, os textos auxiliares, e a meditação, antes de orarmos. Depois que li a oração de Ana (1Sm 1.9-18), Meacir disse que sempre se sentiu atraída pela resposta de Ana a Eli, quando este a julgou embriagada e a repreendeu. Ao invés de reagir com dureza (“Tá pensando o quê?” ou “Me respeita!”), ela, com humildade, falou a Eli sobre sua aflição. Eli ficou tão desarmado que a abençoou. E Ana ainda saiu agradecendo. Continue lendo A PALAVRA QUE DESARMA

HEBREUS 3.1-06 – “Moisés ou Cristo?”

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

ESTUDO BÍBLICO EM HEBREUS – 30.1.2013

HEBREUS 3.1-06 – “Moisés ou Cristo?”

INTRODUÇÃO

Lembrando: escreve para cristãos que vieram do judaísmo e a ele queriam retornar. A mesma arma satânica hoje: a insuficiência de Cristo. É o tempo descrito em 2Timóteo 4.3-4. A pessoa “descobre” o que nunca alguém viu em 2.000 anos de cristianismo, acha-se iluminada e quer mudar tudo. Para ela, quem só tem Jesus é apenas um iniciado. É preciso Jesus e algo mais. Cristianismo é simples: Cristo. Carta de Morcegão a Chupim: Cristo e alguma coisa mais. Cristo é suficiente. O autor compara Cristo e Moisés. “Considerai”. Verbo grego: olhar fixa e demoradamente, abstendo-se do resto. Chama a Jesus de “Apóstolo”. Por quê? Efésios 2.20: Igreja edificada sobre “apóstolos e profetas”. O judaísmo estava edificado sobre “sacerdotes e profetas”. Jesus é o Grande Apóstolo (enviado por Deus) e Sumo Sacerdote, não apenas sacerdote. Não há mais sacerdotes (nem levitas). O judaísmo acabou. O autor compara Jesus com Moisés.

  Continue lendo HEBREUS 3.1-06 – “Moisés ou Cristo?”

HEBREUS 02.14-18 – “Os efeitos da morte de Cristo”

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

ESTUDO BÍBLICO EM HEBREUS – 23.1.2013

HEBREUS 02.14-18 – “Os efeitos da morte de Cristo”

INTRODUÇÃO

Após a introdução (1.1-3), veio o primeiro discurso (1.4-14): Cristo e os anjos. Agora, o segundo discurso: Cristo e os homens. Este tem uma introdução (2.1-3): não desprezem quem fala, o Filho, que é a palavra última do Pai. Ele é maior que anjos. Clímax: v. 14, com “portanto”. Não devemos desprezar a Cristo porque ele é a palavra última de Deus e por causa do significado de sua morte. Este é o tema: os efeitos da morte de Cristo. Quais são?

  1. A MORTE DE CRISTO É A DERROTA DO DIABO – V. 14

Não pela ressurreição; pela morte. O Diabo era o senhor da morte. Cristo a experimentou. O Justo pagou pelos pecadores. E venceu. Nós venceremos. Filipenses 1.23. Ele: Lucas 23.46. Estêvão: Atos 7.59. Há também vitória sobre as tentações. Não precisamos viver derrotados: Romanos 7.22-25. Cristo dá forças para viver corretamente. Nova vida, não de sujeição aos instintos, mas de equilíbrio. Cristo capacita para vida nova. Venceu a morte física e a morte espiritual.

  1. A MORTE DE CRISTO NOS LIBERTA DA ESCRAVIDÃO – V. 15

O Maligno era forte. Cristo o enfraqueceu. Invadiu o seu domínio, amarrou-o, e nos libertou. Este é o sentido de Marcos 2.27. Há gente “amarrando” Satanás com palavras. Não tem noção do que fala. E tem uma noção exagerada de si. Cristo fez isso. Libertou-nos da escravidão espiritual: João 8.34 e 36. Em Cristo, não somos mais escravos e sim povo de Deus: Apocalipse 5.9-10. Não podíamos nos libertar. Nossa libertação foi alcançada por ele.

  1. A MORTE DE CRISTO FEZ PROPICIAÇÃO PELOS NOSSOS PECADOS – V. 17

“Propiciação”. Que significa isto? “Remoção da ira mediante a oferta de um presente”. Alude aos tratados de paz no Oriente antigo: aplacar a ira de um poderoso, fazer uma aliança, pagando tributo. Nós não podíamos fazer. Muita gente tenta agradar a Deus, com obras, religiosidade, cerimônias. Cristo fez. Ele pagou o preço. Qual preço? Apocalipse 5.9, novamente. Somos salvos porque Cristo morreu pelos nossos pecados.

  1. A MORTE DE CRISTO O TORNOU APTO PARA NOS SOCORRER – V. 18

Não foi morte tranquila. Foi sofrida. Sabe o que é sofrer. Isaías 53.3-6. Para os gregos, as divindades eram apáticas. Deus é pático. Mais que isso, é empático. A encarnação prova sua empatia. Sofrimentos físicos: Mateus 27.30, Marcos 15.15; Sofrimentos morais: Marcos 15.16-20; Sofrimentos emocionais: Marcos 14.33-34, Lucas 22.44. O hino que diz: “Deus te compreende as dores”. Deus sabe o que é ser um humano.

CONCLUSÃO

Cristo morreu por nós. Pelos nossos pecados, para nos dar vida, para vencermos a morte. Pessoalmente, gosto da vida. Viver é fantástico. Mas quando chegar a hora de partir será grande glória. Cada um de nós, salvos por Cristo, poderemos cantar: “Será grande glória pra mim”.

 

 

HEBREUS 2.10-14 – “O Pai, o Filho e os filhos”

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

ESTUDO BÍBLICO EM HEBREUS – 16.1.2013

HEBREUS 2.10-14 – “O Pai, o Filho e os filhos”

 

INTRODUÇÃO

No estudo passado paramos neste ponto: não vemos o homem na glória que Deus tem para ele, mas vemos a Jesus. Coroado de honra e de glória (v. 9). É em Jesus, o Filho (termo preferido para ele, em Hebreus), que o homem recupera o propósito que Deus tinha para ele antes da Queda. Analisemos o texto.

  Continue lendo HEBREUS 2.10-14 – “O Pai, o Filho e os filhos”

NÃO TENHAMOS PIOLHOS!

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 27.1.13

Em 1808 – Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a história da de Portugal e do Brasil, Laurentino Gomes narra a vinda da corte de D. João VI ao Brasil, quando Napoleão invadiu Portugal. O livro dá uma excelente visão do Brasil no início do século 19. E mostra as grandes mudanças sociais e culturais o país teve.

Continue lendo NÃO TENHAMOS PIOLHOS!

SUPERPASTORES E SUPERIGREJAS

Isaltino Gomes Coelho Filho

Começarei da forma mais pedante possível: contando vantagem e como fui malcriado. Mas meus parcos (não porcos) leitores são inteligentes. Entenderão o que digo.

Estava eu cá em meu gabinete e o telefone toca. Do outro lado da linha uma voz feminina. “Pr. Isaltino? Aqui é a secretária da Igreja tal, na cidade Tal. Estou telefonando para saber se o senhor pode pregar em nossa igreja, de tanto a tanto, de tal mês” (mantenhamos nomes e datas omissos). Era a minha consagração! Que glória, eu, um pastoreco no fundão da floresta amazônica, na isolada e pobre Macapá, recebendo convite para pregar numa grande igreja de uma grande cidade, no rico Sudeste! Que honra para um velhinho perdido na mata!

Continue lendo SUPERPASTORES E SUPERIGREJAS

A CRUZ, NOSSA GLÓRIA!

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 20.1.2013

Já declarei minha frustração com o fato de que a cruz foi posta de lado no louvor e na pregação atuais. No visual, alguns a trocaram pela estrela de Davi. Nos cânticos, foi substituída por expressões vazias, como “voar nas asas do Espírito”. Há um cântico que fala do rio que salva. É a salvação aquática, não pela cruz. Muitos púlpitos pregam o trono do cristão na terra (riquezas, saúde plena, vida sem problemas), não o chamado de Jesus para tomar a cruz: “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me” (Lc 9.23).

 

A cruz é ofensiva ao pecador. Ela declara que nossos esforços nada valem para a salvação e que nossa virtude não nos justifica diante de Deus. A cruz diz o que somos sem meias palavras. Ela declara que somos pecadores e que precisamos do perdão que vem dela. Há hoje muito falatório com o nome do Espírito Santo, mas será que o Espírito leva a afastar-se da cruz e a perder o fascínio por ela? O Espírito apaga a cruz na vida da igreja? Sem a cruz a igreja não existe. Nossa redenção efetuou-se nela: “E eles cantavam um cântico novo: Tu és digno de receber o livro e de abrir os seus selos, pois foste morto, e com teu sangue compraste para Deus gente de toda tribo, língua, povo e nação” (Ap 5.9). Somos o povo formado pelo sangue vertido na cruz.

Continue lendo A CRUZ, NOSSA GLÓRIA!

HEBREUS 2.1-9 – “Como escaparemos?”

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

ESTUDO BÍBLICO EM HEBREUS – 9.1.2013

HEBREUS 2.1-9 – “Como escaparemos?”

INTRODUÇÃO

O autor começa com uma pergunta. Se a transgressão da palavra trazida pelos anjos foi castigada, como não será com a transgressão da palavra trazida pelo Filho? Todo o argumento gira ao redor desta pergunta. Eles queriam deixar o evangelho e retornar ao judaísmo. Como escapariam se rejeitassem o Filho? Faz duas recomendações:

  Continue lendo HEBREUS 2.1-9 – “Como escaparemos?”

O COLARINHO CERTO

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 13.1.13

Briscoe, num de seus livros, contou a história de um homem que foi ao médico porque tinha uma forte dor de cabeça. O médico perguntou se ele fumava e ele disse que sim. “Pare de fumar”, disse o médico. A dor continuou e o homem voltou. “Você bebe?”, perguntou-lhe o médico. “Bebo!”, respondeu. “Pare de beber”, volveu o médico. A dor continuou. De volta ao consultório, o homem ouviu esta pergunta: “Você exerce alguma atividade que produz pressão sobre suas costas?”. “Sim!”, disse. Ouviu isto: “Deixe esta atividade”. A dor não cessou, as consultas continuaram e nada de resolver o problema. Tudo foi solucionado quando se descobriu que o homem usava colarinho 38 e seu número era 39. A solução era simples! Usando o colarinho certo, a dor cessou!

Continue lendo O COLARINHO CERTO

VIDA CRISTÃ OU PIROTECNIA?

Isaltino Gomes Coelho Filho

Numa revista evangélica vejo uma propaganda camuflada de ação evangelizadora: 300 cristãos indo a Israel para “atos proféticos” para efetuarem “a unção do mar da Galiléia para que o avivamento chegue a todos os habitantes de Israel e oração no monte Carmelo para queimar toda a incredulidade e sofismas sobre Jesus, o Messias”.

Presumo que o conceito de “atos proféticos” tenha seu lastro nos atos de Isaías e de Jeremias (Is 20.1-4, Jr 19.1-10, por exemplo). Nos profetas, estes atos são chamados de “profecia simbólica”. Porque a profecia pode ser oral (“Assim diz Yahweh”), visual (“Que vês, Jeremias?”), simbólica (quando um ato simboliza o que Deus fará) e factual (quando um fato histórico é profético, como a Páscoa e o episódio de Números 21.4-8 profetizam a obra de Jesus). “Atos proféticos” têm tênue semelhança com profecia simbólica. Uma leve tintura bíblica, mas não é ensino bíblico para prática.

  Continue lendo VIDA CRISTÃ OU PIROTECNIA?

HEBREUS 1.4-14 – “Anjos ou Cristo?” – 1.4-14

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

ESTUDO BÍBLICO EM HEBREUS – 2.1.13

HEBREUS 1.4-14 – “Anjos ou Cristo?” – 1.4-14

INTRODUÇÃO

Vivemos num tempo de culto aos anjos. Há o anjo do dia, o que ele come e bebe, perfume que gosta. Como será que anjo come? Gosta de champagne? Em que parte do corpo passará perfume? Hebreus: Cristo é superior aos anjos (v. 4). Tese: lei foi trazida por anjos (2.2). Se Cristo é superior aos anjos, a revelação que ele trouxe é superior à lei. Por que voltar ao judaísmo, se o evangelho é superior? Movimento nova era: a Era de Aquário seria nova era. Lorota. Era o paganismo, a velha era. O evangelho combateu isso: Colosssenses 2.16. Por que andar atrás de anjos? Fique com Jesus!

1. O FILHO FOI GERADO; ANJOS FORAM CRIADOS – V. 5

Filho foi gerado. Mas é eterno (1.2). Questão: da mesma essência. Atos 13.33. Hebreus 1.5 tem conexão com Atos 2.36. Com a ressurreição, o Filho se tornou Senhor. Anjos foram criados por ele e para ele: Colossenses 1.16. Foi gerado; não criado. Que criamos? Animais? Plantas? Que geramos? Gênesis 5.3: à imagem e semelhança, mesma essência e natureza. Quem é Jesus? Como o Pai: incriado. Anjos são entes espirituais criados. Adorar só a Deus, não o que foi criado.

  1. O FILHO É ADORADO; ANJOS O ADORAM E SERVEM – V. 6

Primogênito, para nós, o primeiro. No grego, prototokos, superioridade. Têm direitos sobre os demais. Anjos anunciaram sua concepção (Lc 1.26-27), seu nascimento (Lc 2.9-11), trouxeram-lhe comida (Mt 4.11), confortaram-no (Lc 22.41-43), anunciaram sua ressurreição (Lc 24.4). São adorno. Há gente encantada com os servos do Rei. Procure o Rei. Não cultue nem busque ajuda em anjos. Eles adoram a Cristo.

3. O FILHO É ETERNO; OS ANJOS SÃO EFÊMEROS – VV. 7-8

O Filho é eterno; os anjos passageiros: vv. 7-8. Os anjos são vento, labaredas de fogo (efêmeros); Filho reina para sempre (vv. 7-8). Mutabilidade da criação e permanência eterna do Filho: vv. 10-12. E é chamado de Deus. Uma das mais claras declarações sobre a divindade de Jesus. Tem trono para sempre: v. 8. Devemos confiar no que nunca se abala, e não no passageiro. Além de eterno, tem um trono. Anjos não têm.

  1. O FILHO É SENHOR; OS ANJOS SÃO SERVIDORES – VV. 13-14

Seus inimigos serão vencidos: v. 13. Toda oposição a ele será vencida. Pensamos nisto? Os adversários de Cristo são inimigos de Deus! Tempo de ecletismo religioso (vaguinha para judeus, muçulmanos, gente boazinha, cheia de moral e de religiosidade). Deus só aceita quem vem a ele pelo Filho (Jo 14.6). Quem não tem o Filho está perdido: João 3.17-18 e 36. Filho é Senhor e Salvador e anjos são servidores (v. 14). Eles trabalham pelos salvos; ele é o autor da salvação.

CONCLUSÃO

Tem mais excelente nome (caráter, personalidade): Filipenses 2.9-10. O terceiro mandamento do Decálogo: Êxodo 20.3. NT: o nome é o de Jesus. Confie em Jesus! Não procure ajuda em anjos. Procure em Jesus. “Qual é o anjo de hoje?”. Jesus é o Senhor e Salvador de sempre. Todas as horas. “Eu te gerei” vem de Salmo 2.4. Conclui: “Bem-aventurados…”. Refugie-se em Cristo.

 

 

 

A TRÍPLICE CONVERSÃO DO CRISTÃO

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 6.1.13

Oscar Cullmann disse que os cristãos necessitam de três conversões. A primeira é do mundo para Cristo, o arrependimento. A segunda, para a igreja, o compromisso. A terceira, para o mundo, o testemunho. O termo “conversão” é usado no sentido de mudança radical na vida.

Um cristão é um convertido a Cristo. Não se nasce cristão. Deus tem filhos, mas não netos. Não se é cristão por geografia ou por nascer em lar cristão. Cristão é quem crê em Jesus e o segue: “As minhas ovelhas escutam a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna, e por isso elas nunca morrerão. Ninguém poderá arrancá-las da minha mão” (Jo 10.27-28). O cristão ouve a Jesus, é conhecido por ele, segue-o e tem a vida eterna.

  Continue lendo A TRÍPLICE CONVERSÃO DO CRISTÃO

HEBREUS 1.3 – “Quem é Jesus?”

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

ESTUDO BÍBLICO EM HEBREUS – 26.12.12

HEBREUS 1.3 – “Quem é Jesus?”

INTRODUÇÃO

Destinatários: Cristãos que vieram do judaísmo e agora queriam voltar. Tema: a superioridade de Jesus Cristo, o ponto culminante da fé. Neopentecostalismo: retorno ao judaísmo, com a guarda de leis e festas judaicas e a prevalência do antigo sobre o Novo Testamento. Além da rejudaização há o neopaganismo: um Deus impessoal, energia cósmica, “Eu tenho a força!”, “Que a Força esteja com você!”. Deus não é energia nem uma força. Ele é uma pessoa. Mas já esteve neste mundo. Foi como nós. Tem um nome humano: Jesus Cristo. O texto diz quem é Jesus. Não é um padroeiro. Não é um guru, nem espírito iluminado ou evoluído. Em Hebreus é sempre chamado de Filho: pessoa divina que se fez homem na pessoa de Jesus de Nazaré. Há duas partes nesta declaração: (1) O que Jesus é; (2) O que Jesus fez. Deus falou nele e na sua obra. Veremos hoje quem ele é. Depois, o que ele fez.

  Continue lendo HEBREUS 1.3 – “Quem é Jesus?”

HEBREUS 1.1-2 – “O Deus que fala”

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

ESTUDO BÍBLICO EM HEBREUS – 19.12.12

HEBREUS 1.1-2 – “O Deus que fala”

INTRODUÇÃO

Trecho abre a primeira parte do livro. São quatro. “Deus fala hoje através do seu Filho” (1.1 a 4.13). Começa e termina com a Palavra de Deus (1.1 e 4.12). Os dois limites. Deus falou. Nota alvissareira da Bíblia. Deus fala. Grego: apatia, a marca da divindade. A oração ao silêncio. O Deus da Bíblia fala. Veremos o que falou ao longo dos estudos. Hoje: como falou. Como Deus fala?

  Continue lendo HEBREUS 1.1-2 – “O Deus que fala”

NÃO MUDARÁ NADA EM 2013

NÃO MUDARÁ NADA EM 2013

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 31.12.12

Por que as pessoas se agitam tanto com a virada do ano? Fogos, ceia especial, roupa nova, presentes, a costumeira bebedeira (o Brasil está virando um imenso botequim e um entreposto de drogas!), e nas igrejas, um culto especial. O que haverá em 1 de janeiro de 2013 que fará tanta diferença em nossa vida? O que haverá em janeiro que não houve antes?

Continue lendo NÃO MUDARÁ NADA EM 2013

O LADRÃO DO NATAL

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 23.12.12

            No Shopping Macapá, ouvi um jovem dizer a outro: “Papai Noel roubou o lugar de Jesus!”.  É verdade. As pessoas não querem saber de Deus, mas de festas religiosas amaciadas. Na “semana santa”, um coelho que bota ovos de chocolate tomou o lugar de Jesus. No natal, o personagem central é um idoso esquisito. Nos dois eventos, o sentido religioso foi substituído pela confraternização humana. São datas comerciais. O apelo é para consumir. O natal, por exemplo, perdeu o sentido espiritual. São presentes, bebidas e a ceia da meia noite.

 

Comércio quer vender. Pior que ele são os cristãos que desfiguram o natal. Alguns desfiguraram o evangelho com suas esquisitices e agora combatem o natal, dizendo-o festa pagã. Opõem-se a qualquer culto com ênfase no nascimento de Jesus. São os reinventores do evangelho.

Continue lendo O LADRÃO DO NATAL

GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 27 – Destino final dos homens

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 27

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho.

 

INTRODUÇÃO

O último item da DD, não poderia ser outro, é o destino final dos homens. Haverá um juízo! Nós, os salvos, não seremos julgados para salvação, mas compareceremos perante o tribunal de Cristo. Seremos julgados para galardão: 2Coríntios 5.10 e Apocalipse 14.13. A moralidade de Deus se estende sobre os ímpios e também sobre os salvos. Vejamos o ensino bíblico sobre o destino final dos homens.

Continue lendo GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 27 – Destino final dos homens

GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 26 – Morte

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 26

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho.

 

INTRODUÇÃO

Benjamin Franklin disse que só há duas coisas certas na vida: a morte e os impostos. Índios não pagam impostos, mas morrem. Ela é a única realidade inevitável na vida. Disse Kierkegaard: “O homem nasce para morrer. E começa a morrer quando nasce”. As pessoas evitam pensar no tema, que é a única realidade comum a todos. Como fugir da única coisa certa? Ela assusta e é uma incógnita. Mas a Bíblia, o livro mais confiável do mundo, esclarece bem sobre ela. Quem acata o ensino da Bíblia sobre o que fazer na vida, pode esperar a morte usando o título da composição de Bach: “Vem, doce morte!”. Porque ela não é o fim. Quando morrermos, não será o fim. Será o início de algo fantástico: a concretização, na nossa vida, do que cremos. Cristãos imaturos temem a morte. Cristãos convictos não a desejam, mas não a temem. Quando ela vier, eles serão promovidos.

Continue lendo GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 26 – Morte

A MAIS SÁBIA ORAÇÃO PARA 2013

Isaltino Gomes Coelho Filho

Em 2013, nossa igreja usará o “Presente diário”, antigo “Pão diário”, como subsídio para devocionais nos lares dos seus membros. Fui ler as devocionais e me encantei com uma, muito profunda e tão simples, que ainda não me ocorrera. Seu título é “Vontade” e seus suportes são o Salmo 40.8 e Mateus 6.10. Neste último texto, o foco é a expressão de Jesus “Seja feita a tua vontade assim na terra como no céu”. Continue lendo A MAIS SÁBIA ORAÇÃO PARA 2013

CACHORRO QUENTE NA BARRACA DO TIÃO

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 9 de dezembro de 2012

Dia 4, Meacir e eu completamos 41 anos de casados. Sem melosidade: deu certo. Fomos almoçar fora e comentei com uma pessoa: “Vou levá-la para comer cachorro quente na barraca do Tião”. Tal barraca é fictícia. Nós a criamos. Na nossa ficção, dizemos que os urubus pousam na cumieira da barraca, mas de vez em quando algum deles desmaia, só com o cheiro do produto tiãozeiro. Nem eles aguentam. Imaginem, dois branquelos comendo o sanduba de salsicha, em pé, ao sol de Macapá, sol que frita o rio Amazonas. Tentei casar o Tião com uma amiga, dizendo-o um Adônis: só tem dois dentes, mau hálito, nariz escorrendo e pé cascorento, mas a amiga não quis. Continue lendo CACHORRO QUENTE NA BARRACA DO TIÃO

GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 25 – Família

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 25

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho.

 

INTRODUÇÃO

Há um grande esforço hoje para desmanchar a família. Ela é a base da sociedade. Quando é bem estruturada ela mantém a sociedade bem estruturada. Desmontada, a sociedade entra em desordem. A alguém interessa o seu desmanche. Um deputado propôs o levantamento de uma estátua à prostituta, reconhecendo os grandes benefícios que ela trouxe à sociedade brasileira. Por que não uma estatua à mãe, que trouxe muito mais benefícios? Por que a insistência em declarar a família falida, sem olhar para muitas famílias que vivem bem, em harmonia? Por que o foco nas fracassadas, mostrando-as como regra, e não nas estruturadas, mostrando-as como modelo? Qual nosso entendimento sobre a família?

Continue lendo GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 25 – Família

CADA UM É LIVRE PARA FAZER O QUE QUER

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Ouvi esta frase, num programa de televisão: “Cada um é livre para fazer o que quer”. Ela me fez pensar.

O homem é dotado de capacidade de pensar e tomar decisões. É responsável por seus atos. Não se pode impor a alguém uma religião ou uma ideologia, por exemplo. Pais escrupulosos não imporão uma profissão a seus filhos. Respeitarão suas habilidades e o seu pendor. Neste sentido, a frase tem certa razão. Cada um faz o que quer de sua vida, sendo por isso responsável. Neste sentido, a liberdade é plena. Continue lendo CADA UM É LIVRE PARA FAZER O QUE QUER

SAL SEM SAL?

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Publicado originalmente na revista “Você”.

Vós sois o sal da terra; mas se o sal se tornar insípido, com que se há de restaurar-lhe o sabor? para nada mais presta, senão para ser lançado fora, e ser pisado pelos homens” (Mt 5.13).

Quando era criança, este autor foi vítima de uma brincadeira de 1º de abril, feita por sua irmã, também criança. Ela lhe fez um cafezinho, o primeiro cafezinho que fez na vida. E deu para o irmão, que, todo prosa, o bebeu. Puxa, era o primeiro café feito pela irmã, e ela fez para ele! Mas ela o havia temperado com sal. Bebi e cuspi, imediatamente, ao primeiro gole. Que coisa horrível! Café com sal! O café, depois que ela adoçou outra xícara com açúcar, estava bom. Mas o sal estragou a primeira xícara. Continue lendo SAL SEM SAL?

GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 24 – Ordem social

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 24

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho.

 

INTRODUÇÃO

O item sobre “Ordem social” da Declaração Doutrinária da Convenção Batista Brasileira é extraordinário! Muito bem redigido e conceitualmente preciso. Não há uma só palavra jogada fora e as afirmações, além de concisas, são a expressão exata das implicações de seguir a Cristo. Como devemos nos portar com a presente ordem social. É a visão de uma denominação quatricentenária e presente no mundo todo. Uma visão global, não fragmentária, e de teologia sadia.

Continue lendo GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 24 – Ordem social