A doutrina espírita, uma avaliação cristã evangélica

A doutrina espírita, uma avaliação cristã evangélica

Preparado pelo Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho, para o Núcleo Evangélico da Escola de Cadetes, em Campinas – Apresentado em 3 de abril de 2001


1. Caracterização – O espiritismo é um sistema eclético, com elementos que sempre existiram no campos religioso e filosófico. Começou a ser organizado como um sistema religioso em 1848, devido a fenômenos psíquicos produzidos pelas irmãs Fox. Tais fenômenos foram interpretados como manifestações de espíritos desencarnados, querendo comunicar-se com os vivos. O pressuposto é que o espírito humano continua existindo após a morte física e que os espíritos desejam manter relações amigáveis com os vivos, transmitindo-lhes valores e ensinamentos espirituais.

2. Ensinos básicos – Dentre os muitos ensinos espíritas, alistamos aqui dez que parecem ser os mais importantes:
(1) O homem é um espírito e o seu corpo físico é o veículo (ou prisão) da alma. O corpo é para ser usado na esfera terrena, mas não faz parte essencial do seu ser.
(2) O homem sobrevive à morte física e seu espírito pode se comunicar com os vivos.
(3) Há muitas esferas de desenvolvimento espiritual e o espírito percorre essas esferas de acordo com seu desenvolvimento.
(4) Há um progresso, portanto, nesta caminhada, rumo à perfeição. Os julgamentos não são punitivos, mas para orientar o espírito.
(5) Basicamente, o espiritismo é universalista: todas as almas podem chegar à perfeição.
(6) O livre-arbítrio humano leva o homem a escolher o que é bom para ele, embora isto possa envolver um tempo mais prolongado de aperfeiçoamento, caso seja uma escolha errada.
(7) Ao longo da história houve homens e mulheres dotados de percepção espiritual e de um desenvolvimento superior. Os profetas eram médiuns, sendo que Jesus foi o maior deles.
(8) A alma (ou espírito) é imortal e isto basta. O corpo é descartável. A idéia de uma ressurreição é desnecessária. A de Jesus, por exemplo, é a comunicação de um espírito e não uma volta física à vida.
(9) O Antigo Testamento é a primeira revelação. O Novo Testamento é a segunda. O espiritismo é a terceira. Tudo anterior a ele era um estágio para sua chegada.
(10) A reencarnação. Embora o espiritismo anglo-saxão (inglês) não a valorize, os espíritas franceses e brasileiros a consideram de suma importância e como parte integrante do sistema.

3. Uma avaliação cristã evangélica destes ensinos – Como avaliamos, de início, estes ensinos?
(1) O homem não é um espírito aprisionado em um corpo, mas uma unidade. A idéia do corpo como prisão da alma remonta a Platão, com seus conceitos de ideal e real. A idéia judaica-cristã é que o homem é um ser uno, indivisível.
(2) O homem sobrevive à morte física, mas sobre sua comunicação, veja Eclesiastes 9.5. Não aprendemos com anjos e entes espirituais. Eles aprendem com a Igreja: Efésios 3.10.
(3) Sobre o progresso para o bem, da humanidade, veja-se Gênesis 6.5. Na realidade, o mundo não está espiritual e moralmente em evolução. É o oposto. A Holanda, agora, aceita o casamento homossexual. O aborto está institucionalizado em vários países. Hitler, Stalin, Bokassa e outros assassinos de multidões, foram pessoas dos últimos anos e não da história primitiva do homem.
(4) Sobre o livre-arbítrio humano nos levar sempre a escolher o bem, veja-se Paulo, em Romanos 7.14-21.
(5) O Antigo Testamento realmente passou. O Novo Testamento é, porém, a revelação final: Mateus 17.3-5 e Hebreus 1.1-2.
(6) Alguns dos outros ensinos foram abordados dentro de uma resposta cristã. \Permanece a questão da reencarnação, que abordamos a partir daqui.

4. Uma idéia básica: a reencarnação. O espiritismo crê que os espíritos passam por um processo de evolução, e em sucessivas reencarnações, podem se aperfeiçoar. Neste sentido, a reencarnação é a pedra de toque do espiritismo. Na realidade, a sua doutrina fundamental. Uma das duas maiores características. A outra, como dito, a comunicação entre os espíritos dos mortos e dos vivos.

5. Reencarnação significa que quando uma pessoa morre, sua alma entra em outro corpo. A idéia básica é de que os espíritos existiam antes dos corpos. Filosoficamente se aproxima muito do mundo das idéias de Platão, em que todas as coisas que existem no ideal (o mundo real) são cópias do que existe no mundo ideal (das idéias). Se existe um homem físico, deve haver um homem espiritual, ideal. A idéia é estranha na cultura ocidental, mas tem sido popularizada pelas novelas e agora, por filmes de Hollywood. Não é uma doutrina nova, revelada pelo espiritismo. Ele não é uma "nova revelação". A idéia está presente nas religiões antigas do oriente, como o hinduísmo, por exemplo. O hindu não come nenhum animal porque a alma de um antepassado pode reencarnar em qualquer um. O espiritismo ocidental descarta esta possibilidade, mas o oriental crê que sim. E está mais certo que o ocidental: um cachorro é tão vivo quanto uma pessoa. Apenas não raciocina, mas sente. Pode sofrer. Então pode ser veículo para um espírito encarnar.

6. Finalidade: levar a pessoa a evoluir, ao longo dos séculos. Segundo o espiritismo, é a maneira de resgatarmos nossos erros e crimes e assim passarmos para um estágio superior.

7. Lei do progresso: esta lei é a base da finalidade. A pessoa vai progredindo, progredindo, em sucessivas reencarnações, até chegar a um estágio de perfeição.

8. Avaliação crítica geral sobre a reencarnação:
(1) O mundo estaria melhorando, pois cada um de nós estaria evoluindo. No entanto, não vemos assim. Vemos um mundo pior.
(2) Não deveríamos ajudar ninguém. Cada pessoa que sofre está pagando seus erros anteriores. Ajudá-la seria prejudicá-la. Hindus: "quando você vir um aleijado, dê-lhe um pontapé. Por que você deve ser mais misericordioso que Deus?". A idéia de uma reencarnação para purgar os erros de uma existência passada e o uso de caridade para com os que sofrem acabam se colidindo. Se há a lei do carma não deve haver caridade. Esta pode quebrar o carma. Isto estimula a não-bondade. Quando fazemos bem a um necessitado, estamos atrapalhando sua vida, pois ele deve sofrer para pagar pecados de vdia anterior e assim melhorar.
(3) O mundo deixa de ter sentido e beleza e passa a ser um purgatório, uma prisão espiritual. Não é o bom mundo de Deus que o cristão vê. É uma penitenciária espiritual.
(4) O bem deixa de ter como motivação o próprio bem e passa a ser interesse, para ser aperfeiçoado. É uma versão da doutrina católica da salvação pelas obras. Só que em vez de ser salvo de uma vez, sendo bom, a pessoa é salva em suaves prestações, a perder de vista.
(5) No caso dos hindus, por exemplo, antecessores dos espíritas nesta doutrina, não deveriam comer coisa alguma. Um vegetal é um ser vivo. Um pé de alface respira, se nutre, se reproduz. Se uma pessoa pode reencarnar num cachorro, por que não pode num pé de alface?
(6) Nem mesmo um café ou chá se poderia tomar. Quando se ferve água, está se matando milhões de micróbios, de seres vivos.

9. Análise bíblica da reencarnação
(1) Eclesiastes 12.7 – o espírito volta a Deus
(2) Hebreus 9.27 – depois da morte há o juízo
(3) Lucas 16.22-24 – parábola do rico e Lázaro: dois lugares distintos após a morte.
(4) João 3.36 – a fé em Cristo garante vida eterna. O ladrão na cruz, em Lucas 23.43, confirma isto. Não precisou reencarnar. Paulo: morrer é estar com Cristo (2Co 5.8 e 5.2. Também Fp 1.23). A Bíblia ensina que há certeza de salvação para quem crê.

10. A reencarnação e Jesus Cristo
O espiritismo vê Jesus como "mestre de Luz", um espírito evoluído. Rejeita sua divindade. Veja, sobre isto, o ensino bíblico: João 14.9 e 17.22. Ao mesmo tempo, Jesus era homem. Porque era Deus e porque era homem pôde fazer a reconciliação entre Deus e os homens, pagando a parte de cada um.

11. A origem da alma humana
Espíritas: todas estão criadas e são postas em um corpo. Um problema: como nasce mais gente do que morre, ou há muitas que ainda não entraram num corpo (estão esperando há milhares de anos) ou a doutrina é furada. Cristão: Gênesis 1.27 – "imagem e semelhança". O homem tem potencialidade de transmitir vida. Quando uma criança é concebida no ventre materno recebeu a imagem e semelhança de Deus que está no homem. Os pais reproduzem e propagam todo o seu ser em seus filhos. Esta é a teoria chamada "traducionismo", na teologia cristã.

12. Conclusão
(1) A doutrina espírita é enganadora e desvia da verdade. Acaba com a necessidade de redenção, mina o espaço para a fé em Deus e em Jesus Cristo e leva a perigos, como na crença hindu de que o mal e o bem são a mesma coisa. "Quando v. vir um aleijado, dê-lhe um pontapé; por que você deveria ser mais misericordioso do que Deus?".
(2) Mensagens do além, vindas de espíritos desencarnados, vêm mesmo de espíritos sem carne: os demônios. As almas não ficam vagando pelo espaço.
(3) As mensagens desses espíritos são terrivelmente banais. Estão há 300 anos se aperfeiçoando e quando se manifestam, depois de viverem 300 anos no além, na presença de outros seres muito mais evoluídos, com tantas coisas para nos dizer, dizem o que já foi dito por todo mundo, o óbvio: o mundo precisa de amor. Veja-se o exemplar do livro A Vida em Saturno, psicografado por Diamantino Coelho Fernandes tendo sido "ditado por Maria, a mãe de Jesus". Ele descreve o sistema educacional de Saturno, fala de seus prédios, trens, viadutos, etc. Simplesmente grotesco.
(4) O absurdo: alguém contou 30 reencarnações de Cleópatra. Como essa mulher reencarnou! E, por vezes, em três pessoas, na mesma época! Como Cleópatra pode estar reencarnada em três pessoas na mesma época?
(5) Por que buscar uma salvação em parte, ao longo de centenas de anos, se podemos ter a salvação imediata em Cristo? Shirley MacLaine, em seu livro Minhas Vidas, declarou ser a reencarnação de uma sacerdotisa egípcia de 3.000 anos atrás. E ainda está batalhando por sua melhora? Abra o coração para Cristo, seja submisso ao Espírito Santo e cresça cada dia na graça e no conhecimento.