Discípulos de Dona Violeta

Discípulos de Dona Violeta

    Veio na Folha de S. Paulo, de 11 de julho: Maria Violeta Rodrigues, de 80 anos, moradora no Itaim Bibi, bairro de classe média alta de S. Paulo, ajuntou lixo por 18 anos em sua casa. Por falta de espaço, tanto era o lixo, ela dormia num Fiat 147, ano 80, de propriedade do filho. De máscaras, os garis retiraram vinte caminhões de lixo. Depois de dezesseis horas de trabalho, conseguiram chegar à sala-de-estar. Só se conseguiu entrar no apartamento de D. Violeta porque os vizinhos não a viam há dias e pensavam que ela morrera. Estava na casa do filho, em Guarujá. Que parece seguir suas pegadas: na sua oficina havia cinco carcaças de moto.

    Violeta ficou zangada com a invasão de seu imóvel e disse que processará as pessoas que o fizeram. Ela possui dezesseis imóveis, não sendo mendiga. Gosta de lixo, mesmo. Foi indiciada por crime contra a saúde pública, periclitação da vida alheia e posse de artefato explosivo. Até pólvora ela acumulara em sua casa.

    É triste que os filhos não tenham interferido, há tempos. Mas deixa pra lá. Isto não é o pior. O pior é que ela tem seguidores, autênticos discípulos, em vários bairros, em casas de luxos, mansões, e em casas simples. Gente de várias faixas etárias e de muitas nacionalidades. Que, à sua semelhança, gosta de lixo. Lixo moral.

    Há gente que acumula livros e revistas pornográficas em casa. E navega horas pela Internet, visitando sites pornográficos. É lixo bem tratado, sem mau cheiro, de estética bem elaborada, e mostrado como “avanço cultural”. Quem não o cultiva é chamado de “falso moralista”. Com tudo isso é lixo, lixo moral.

    O lixo de Violeta incomodava os vizinhos por causa do mau cheiro, ratos e baratas que ali se cevavam e migravam para suas casas. O lixo moral faz mal a quem o cultiva. Desintegra o caráter. E muitas vezes leva seu cultivador a causar males a outras pessoas. Que o mundo doente moralmente, como Violeta é doente psicologicamente, cultive lixo, é normal. “O mundo todo está debaixo do poder do Maligno” (1Jo 5.19). Um mundo dominado pelo Maligno gosta de lixo.

    Mas um cristão não deve ajuntar lixo moral em sua vida. Deve cuidar bem do que lê, assiste na televisão, em filmes e na Internet. “Viverei uma vida correta na minha casa e não deixarei que entre nela nenhum mal” (Sl 101.2b-3). Na casa de um seguidor de Jesus não deve haver espaço para a pornografia. Não deve haver esteja ele onde estiver. “Pensem nas coisas lá do alto e não nas que são aqui da terra” (Cl 3.2). Isto é necessário para um crescimento espiritual e para uma vida sadia. Uma pessoa dependente de pornografia não é sadia.

    Um casal disse que assistia a filmes pornográficos para “melhorar seu relacionamento”. Estavam piorando-no. Se um casal precisa de pornografia para ter interesse um pelo outro, a coisa anda muito ruim. Além de não terem desejo mútuo, estão se coisificando. Um relacionamento instintual, sem amor, necessitando de estímulos externos, vai mal. Filmes não o melhorarão. Nem livros nem estímulos externos.

    Violeta se zangou porque levaram seu lixo. Pode ser que algum usuário de lixo moral fique zangado por este assunto ser abordado. É dono de sua vida e não aceita “patrulhamento”. Tudo bem, mas que é tão doente como D. Violeta, isso é.

    Seja sadio. Leia o que presta, assista o que presta, encha-se do que presta. “Tenha cuidado com o que você pensa, pois a sua vida é dirigida pelos seus pensamentos” (Pv 4.23). E você pensa o que cultiva, o que põe dentro da sua mente. Ponha lixo e pensará lixo. Ponha coisas boas e você terá coisas boas para pensar. Discípulo de D. Violeta, isso não!

    Isaltino Gomes Coelho Filho