Jogando em equipe

Jogando em equipe

        Nesses últimos dias falou-se muito do fiasco da seleção brasileira. Não faltaram palpites sobre o êxito desfavorável dos jogadores brasileiros na Copa do Mundo de 2006. Coloco dessa maneira, porque o que mais se comentou foi que não houve espírito de equipe em nossa seleção. Havia jogadores talentosos, os melhores do mundo, mas não conseguiram formar uma equipe competitiva. É claro que eles estavam ali para ganhar a Copa. Não consigo pensar diferente. Mas será que era essa a prioridade do coletivo? Havia muitos interesses pessoais em questão: quebra de recordes, artilheiro da Copa etc. Quando se coloca o interesse pessoal acima dos interesses do grupo, a conquista acaba se tornando um meio e não um fim em si mesmo. Quando questões pessoais ocupam a dianteira de nossas ações em detrimento dos objetivos do grupo, o insucesso se avizinhará.

        Não sou comentarista esportivo (pelo comentário acima já deu para perceber). Mas me dirijo carinhosamente aos irmãos: somos uma igreja. E para que tenhamos sucesso em nossas empreitadas, precisamos buscar as prioridades de Deus e "jogar" como uma equipe. O problema do cristão é que nem sempre as suas prioridades são as prioridades de Deus. O texto a seguir deixa isso claro: "Os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque assim como o céu é mais alto que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos" (Is 55. 7-8).

        Maria, irmã de Lázaro, é o exemplo ideal daqueles que têm as prioridades certas. E foi elogiada por isso, quando Jesus disse isto: "Maria escolheu a boa parte" (Lc 10.42). Por outro lado, Marta, a irmã de Maria, é um exemplo clássico daqueles que têm prioridades erradas, embora achasse que pessoalmente optara corretamente. Mas as palavras de Cristo revelam qual deveria ser a prioridade dela naquele momento: "Marta, Marta, estás ansiosa e perturbada com muitas coisas, entretanto poucas são necessárias, ou mesmo uma só" (Lc 10. 41-42). Maria estava lá com a sua equipe e no lugar que todo crente deveria estar: aos pés de Cristo. Enquanto a sua equipe "joga", onde você está? Você freqüenta com assiduidade os cultos? E mesmo estando presente, o seu coração está envolvido nos projetos de sua igreja? Você faz parte da equipe!

        Marta certamente não ignorava a presença de Jesus em sua casa, mas talvez estivesse tentando bater alguns recordes para mostrar as suas habilidades domésticas. Isso ela poderia fazer em outras ocasiões, mas estar ao lado de Cristo, dentro de sua própria casa, ouvindo as palavras de vida eterna, era uma oportunidade rara. Mas ela não tinha isso como prioridade. Acabou sendo exortada e perdeu a oportunidade de ser abençoada com as palavras de Cristo. Tenha como prioridade em sua vida a Obra de Deus refletida nos programas, atividades e projetos da sua igreja.

        Talvez se o Brasil jogasse com "atitude" (essa é do Galvão Bueno) fosse o campeão da Copa. Tinha talentos individuais, mas faltou uma equipe para "faturar" o hexa. Como igreja, temos potencial para avançarmos com êxito na realização das atividades e projetos que nos propomos a fazer para a glória de Deus. Mas tenhamos em mente os valores que essa nossa equipe deve cultivar para triunfar: "E perseveraram na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações" (Atos 2. 42).

        Do seu amigo sempre,
Pr. Fernando Veiga