A Igreja É Os Seus Membros

A Igreja É Os Seus Membros

                 O quinto item de nossa filosofia de ministério é este: A IGREJA É OS SEUS MEMBROS. Com isto queremos dizer que igreja é gente, povo, não prédio nem instituição. E que a relação entre a qualidade individual de seus membros e a qualidade da igreja como um todo é indissociável. Ela é tão boa quanto seus membros o forem. Criticá-la é non sense, é colocar-se fora dela. E este talvez seja um dos maiores problemas da igreja de Cristo: excesso de críticos, carência de amantes. A começar, infelizmente, de muitos seminários, onde a igreja é duramente contestada por gente que depois deseja ser pastor.

                Com isso dizemos também que a lealdade da igreja, depois de Jesus Cristo, seu Fundador e Senhor, é consigo. Com ela mesma. Com isso toco no aspecto “denominação batista”. Assim chamamos algumas instituições que criamos: convenções, juntas, associações, e outros. E fazemos uma distinção, bastante equivocada, entre “denominação batista” e “as igrejas”. As igrejas é que são a verdadeira denominação batista. O que elas organizam, e que chamamos erroneamente de “denominação”, são instituições, mera estrutura para funcionalizar seu trabalho de igrejas locais, em nível conjunto. A igreja não lhes deve obediência nem mesmo lealdade cega. Elas, sim, devem obediência e lealdade às igrejas. A verdadeira denominação batista são as igrejas locais que mantêm a doutrina batista há quatro séculos. Com sabedoria intuitiva, as igrejas estão abandonando estruturas que elas criaram e que se tornaram fins e não meio, senhoras e não servas das igrejas. Se elas querem apoio das igrejas devem voltar à égide das igrejas e não de grupos. Devem procurar saber o que as igrejas querem, e não lhes dizer o que devem fazer. São servas das igrejas, e não suas donas. Se assim não fizerem, morrerão, como outras já morreram. Muitos líderes de instituições se queixam das igrejas por não corresponderem aos seus planos e não os apoiarem. É o vendedor que tem um produto indesejável e culpa o cliente!

                 Com isso queremos dizer que do ponto do vista do Novo Testamento só há uma organização afirmada, reconhecida e legitimada: a igreja local. A Declaração Doutrinária da Convenção Batista Brasileira é bem precisa neste ponto: “Igreja é uma congregação local de pessoas regeneradas e batizadas após profissão de fé. É nesse sentido que a palavra ‘igreja’ é empregada no maior número de vezes nos livros do Novo Testamento”. A igreja deve ser amada e não vista como algo a ser usado em nosso benefício. Ela não salva, mas nela os salvos por Jesus Cristo se engajam para servi-lo.

                Com isso queremos dizer que devemos lealdade e obediência à igreja. Engajamo-nos nela voluntariamente e assumimos compromisso com ela. Há crentes que somem e sequer têm a gentileza de dizer que não querem mais ser a igreja ou membros daquela igreja. E depois se queixam. Cada membro da igreja faz parte de um corpo, de um grupo, e deve lealdade a ele. Deve amor a ele. Deve engajar-se nele.

                Com isso queremos dizer que a igreja sou eu, é você, é cada um de nós. E ela será tão boa quanto nós o formos. Tão útil quanto o formos. Tão amada quanto a amarmos. Sua igreja é você. Ame-a, dedique-se a ela. Seja sustentador, com sua freqüência, seu apoio, suas orações e suas contribuições.  Ame-a. Apedrejá-la o mundo já faz. Ela precisa de quem a ame. Ela depende de Cristo e sobrevive, pelos séculos, pelo poder do Espírito. Mas humanamente, ela depende de você. A igreja é os seus membros. A igreja é você. Torne-a cada dia melhor. 

                Isaltino Gomes Coelho Filho