Ele

Ele

 

           Um amigo, Wasyl, conhecido por Basílio, me emprestou um DVD do holandês André Rieu, com sua orquestra e coro, em exibição ao vivo no Music Hall, de Nova Iorque. Meacir e eu vimos várias vezes, e nos encantamos. No Funiculi Funicula (os italianos da Cambuí conhecem bem) rimos muito. Meacir é neta de italianos (o pai foi gerado na Itália e nasceu no Brasil). Então, posso dizer, com respeito e carinho, que a italianada liberou geral. Cantou, bateu palmas, se esgoelou, fez tudo o que tinha direito. Mas vimos umas dez vezes o “Aleluia”, de Haendel, e “Amazing Grace”.

           No primeiro, com a orquestra e dois corais (o de Rieu e um de igreja de negros) e três tenores líricos, a gente fica arrepiado. Em “Amazing”, a gente chora. A apresentação é num teatro secular. Quando se inicia “Amazing”, um homem põe as mãos em atitude de oração, para surpresa de uma senhora ao lado. Os prolongados aplausos são ensurdecedores.

 

           “Amazing Grace” está no HCC. É o hino 314. Aliás, no site da Igreja, o Dr. Fernando Ascenso, de Portugal, nos brindou com um bom artigo sobre o hino. Eis a primeira estrofe:

 

Preciosa a graça de Jesus

Que um dia me salvou

Perdido andei sem ver a luz,

Mas Cristo me encontrou.

 

           Comentei com Meacir: “Quem, senão ELE, poderia inspirar canções assim? Quem, senão ELE, provoca emoções assim? Quem, senão ELE, poderia inspirar as mais belas músicas de todos tempos? As poesias mais comoventes?”. Ninguém, só ELE!

 

           Sim, só ELE! ELE nunca freqüentou uma universidade, mas tem sido tema de livros, monografias, dissertações e teses mais que qualquer outro! A maior viagem que ELE fez não chegou a 300 km. Meu neto de 4 anos já viajou vinte vezes mais que ELE. Mas ELE tem o nome que percorre o mundo! ELE nunca empunhou uma arma, mas conquistou mais corações que qualquer outro. Milhões de pessoas, ainda hoje, morreriam por ele. ELE tirou mais vidas da lama que qualquer outro, que qualquer outra instituição, que qualquer outra sociedade. ELE recuperou prostitutas, drogados, criminosos, e os transformou em santos. ELE mudou o mundo!

 

           ELE nasceu num país atrasado, numa época distante, teve uma vida pública de três anos. Escolheu doze seguidores. Um o traiu. Outro o negou e os demais fugiram. Foi morto de maneira vergonhosa, no ato mais brutal da história da humanidade. ELE foi o homem mais puro, mais santo, mais decente que já existiu e o mataram, com requintes de crueldade, e com palavras de sarcasmo. Nunca a humanidade foi tão baixa como no dia em que ELE foi morto. Mas ELE ressuscitou. Seus acusadores ficaram atônitos, pois não tinham um corpo para mostrar. Seus acovardados seguidores foram enchidos de uma coragem só explicável por este fato: algo novo aconteceu. Aqueles homens rudes e sem preparo acadêmico escreveram as páginas mais lidas e mais transformadoras da história. Morreram por ELE.

 

           ELE fundou uma instituição que os maus combatem, os cínicos e céticos escarnecem e os preguiçosos mentais se recusam a examinar, sua Igreja.

 

ELE é Único, Singular, Mais que todos. ELE é aquele de quem o Batista disse: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (Jo 1.30). De quem Deus Pai disse: “Este é meu Filho amado” (Mt 17.5). ELE é aquele que pediu ao Pai: “Glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que eu tinha contigo antes que o mundo existisse” (Jo 17.5).

 

SIM, ELE, SÓ ELE. E diante dele, um dia, todo joelho se dobrará e toda a língua o confessará como Senhor (Fp 2.10-11). A ELE, TUDO!

 

Isaltino Gomes Coelho Filho