Cartões de Amor Mentirosos

Cartões de Amor Mentirosos

 

            Nesta semana me amaram muito. Ao meu e-mail vieram oito cartões com declaração de amor. Era só clicar num ponto que eles apareceriam. Como a única pessoa que me enviaria cartões de amor estava comigo, obviamente era trambique. Que se confirmou quando vi um “atravez”  e um “finalisado”. A redação era péssima.

            Alguém queria invadir meu computador. Era o que se chama de “vírus” ou “trojam”. O invasor assassinou o português. Tirando esta falha, parecia certo. Meu endereço e nome estavam corretos, era a logomarca dos cartões, e apelava para um sentimento positivo. Todos gostam de receber declarações de amor! E as remetentes eram conhecidas: Carol, Patrícia, Renata, Sônia. Quem não conhece uma delas? Fosse Estrogominalda, quem ligaria? Tudo certo para engabelar o desavisado. Que clica e se dá mal. Podem apenas introduzir um problema no computador, mas podem capturar as senhas do usuário.

 

            Isto também acontece na vida espiritual. Falsas mensagens em programas atraentes atraem muita gente. Uma promessa de cura. Uma solução rápida. Vitória e bens. As pessoas não se preocupam com o certo e com a verdade, mas com benefícios, e se dão mal. São iludidas por spans espirituais.

            Raramente as pessoas buscam a verdade ou a vontade de Deus. Buscam conveniências. Não querem a verdade, mas a confirmação que seu estilo de vida é correto. A Bíblia diz: “Não há uma só pessoa que faça o que é certo; não há ninguém que tenha juízo; não há ninguém que adore a Deus. Todos se desviaram do caminho certo, todos se perderam. Não há mais ninguém que faça o bem, não há ninguém mesmo” (Rm 3.10-12). Mas o pecador não quer correção. Quer coisas boas. Assim aceita mensagens falsas que destroem sua vida, não seu computador.

            Muitos não querem ouvir quem prega a Bíblia nem buscam as igrejas que a ensinam. Querem promessas, sem as exigências de Deus: “O profeta que essa gente prefere é aquele que anda pregando mentiras e falsidades, prometendo vinho e cerveja para todos” (Mq 2.11).

            A busca exclusiva de coisas boas e não da verdade, e do que é agradável e não do que é certo, instala não no disco rígido do computador, mas na alma da pessoa, o vírus da perdição eterna e da falta de rumo e de sentido na vida.

            A Bíblia diz: “Todos pecaram e estão afastados da presença gloriosa de Deus” (Rm 3.23). Todos são pecadores. Ninguém é bom, ninguém é digno de estar na presença de Deus.  Diz mais: “Pois o salário do pecado é a morte, mas o presente gratuito de Deus é a vida eterna, que temos em união com Cristo Jesus, o nosso Senhor” (Rm 6.23). Merecemos a condenação, mas em Jesus Deus nos perdoa, nos salva e nos recebe como filhos.

            Não fidelizamos clientes. Não pregamos riquezas, triunfo constante, ou saúde de Schwarzenegger. Cuidado! Isto pode ser um vírus ou um spam espiritual. Pregamos o evangelho. Pregamos que os homens estão perdidos em seus pecados e que só Jesus Cristo salva. Dizemos com Paulo: “Eu não me envergonho do evangelho, pois ele é o poder de Deus para salvar todos os que crêem, primeiro os judeus e também os não-judeus” (Rm 1.16).

            Esta mensagem é verdadeira. Não é vírus ou spam. De novo Paulo: “O ensinamento verdadeiro e que deve ser crido e aceito de todo o coração é este: Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais eu sou o pior” (1Tm 1.15).

Você é muito amado. De verdade. Por Deus, que enviou Jesus para salvá-lo. Creia nisto.  Não é cartão falso.

 

Isaltino Gomes Coelho Filho