Colossenses, A Exaltação de Cristo

Colossenses, A Exaltação de Cristo

 

Um estudo preparado por Meacir Carolina Frederico Coelho, para Mulheres Cristãs em Ação, da Igreja Batista do Cambuí

 

TEMA: TODA SUFICIÊNCIA DE CRISTO (Cl 1.15,17-19)

 

AUTOR , DATA E LUGAR DE COMPOSIÇÃO

·        Carta autêntica de Paulo. Todos da Igreja primitiva afirmam.

·        No século XIX alguns pensaram que a heresia refutada no capítulo 2 fosse o gnosticismo.

·        O gnosticismo dos mestres principais surgiu nos séculos II e III. Depois de Paulo.

·        As sementes do gnosticismo é que estavam presentes nas igrejas do século I.

·        A carta foi escrita quando Paulo ficou dois anos preso em Roma (At 28.16-31).

·        Alguns presumem que foi de Éfeso ou de Cesaréia que Paulo escreveu. Mas…

·        As maiores evidências apontam que: Efésios, Colossenses, Filipenses e Filemom saíram da prisão em Roma.

·        A carta deve ser datada de 60 d.C., mesmo ano de Efésios e Filemom.

 

A CIDADE E A IGREJA

·        Colossos, séculos antes de Paulo, fora uma cidade importante na Ásia Menor (Turquia).

·        Era rota comercial entre o leste e o oeste. Desde Éfeso até o rio Eufrates.

·        No século I perdera a importância para Laodicéia e Hierápolis (4.13).

·        A importância de Colossos no Novo Testamento começa com Epafras, convertido em Éfeso (Cl 1.7,8).

·        A nova igreja foi alvo de ataques heréticos e Epafras procurou Paulo em Roma.

·        A carta surgiu desta visita de Epafras a Paulo.

·        As igrejas de Laodicéia e Hierápolis surgiram com Epafras e convertidos de Paulo.

·         

A HERESIA COLOSSENSE (ALGUNS ELEMENTOS)

1. Cerimonialismo –  Regras severas para comidas, bebidas festas religiosas (2.16-17) e a apologia da circuncisão (2.11 e 3.11).

 

2. Ascetismo e rigorismo – “Não manuseie!”, “Não prove!”, “Não toque!” (2.21e 2.23).

 

3. Adoração a anjos – (2.18).

 

4. Depreciação de Cristo – Subentendida na maneira de Paulo ressaltar a supremacia de Cristo (1.15-20 e 2.2,3,39).

 

5. Conhecimentos secretos – Os “gnósticos” se orgulhavam disso (2.18). O realce de Paulo a Cristo: (2.2,3).

 

6. Dependência da sabedoria e a tradição humana – (2.4,8)

 

OBSERVAÇÃO: A heresia colossense poderia ser uma mistura de uma forma extrema do judaísmo e de uma etapa inicial do gnosticismo.

 

PROPÓSITO DA EPÍSTOLA: REFUTAR A HERESIA COLOSSENSE

·        Exalta a Cristo como a própria imagem de Deus (1.15).

·        Exalta a Cristo como criador (1.16) e sustentador preexistente de todas as coisas (1.17)

·        Exalta a Cristo como a cabeça da Igreja e primeiro a ser ressuscitado (1.18)

·        Exalta a plenitude da deidade de Cristo em forma corpórea (1.19; 2.9) e reconciliador de todas as coisas com Deus (1.20-22)

 

ESBOÇO DA EPÍSTOLA

  1. INTRODUÇÃO (1.1-14)
  2. A SUPREMACIA DE CRISTO (1.15-23)
  3. O TRABALHO DE PAULO A FAVOR DA IGREJA (1.24 a 2.7)
  4. NÃO AOS REGULAMENTOS HUMANOS, SIM A CRISTO (2.8-23)
  5. REGRAS PARA O VIVER SANTO (3.1 a 4.6)
  6. SAUDAÇÕES FINAIS (4.7-18)