Cultura Inútil

Cultura Inútil 

 

            Estava numa banca de jornal e me surpreendi com o volume de publicações. Desde bom material até lixo pornográfico, cds, um grande volume de revistas em quadrinhos e livros de auto-ajuda, tudo ensinando e tudo prometendo. Pornografia para todo tipo de doente.  Há excesso de informações, a maior parte desnecessária.  

            Entro na Internet e vejo as manchetes:

            “Paola  Oliveira e Mattar terminam namoro” (E daí? Quem são eles?).

            “Stephany Brito e Pato ficam noivos  em Paris” (Não sei quem é ela, mas precisou ir a Paris achar um pato?).

            “Pamela Anderson nua em festa” (Estava de fogo?).

            “Pierce Brosnan come feijoada no centro de São Paulo” (Da próxima vez experimente virado paulista!).

            “Alzira rompe com Juvenal Antena” (Puxa!)

            “Cantora Maria Rita revela que está namorando firme” (Sério?)

            Isto não é cultura. É fofoca. Muita gente consome irrelevâncias e se julga bem informada. Pensa que está sendo preparada para a vida, mas não sabe do essencial. Consome bobagem e é privada do fundamental. Isto é manipulação do sistema. Satisfaz as pessoas, na sua ânsia de saber, mas sonega-lhes o essencial. Por que as coisas são como são? Por que temos arrecadação de impostos tão alta e péssimos serviços médicos, educacionais e rodovias abandonadas? Por que pagamos impostos de primeiro mundo e temos serviços de terceiro mundo? Para onde vai o dinheiro? Por que tanta baixaria na vida política? É cabível a epidemia de dengue no Rio? Empanturram-nos de fofocas e sonegam-nos o essencial. Temos informações desnecessárias, análises irrelevantes, e ausência de uma abordagem séria que responda, esclareça e leve a população a exigir. A  banalidade é o “pão e circo”  de hoje.


 

            Isto também sucede na vida espiritual. Diariamente recebo cartas, foldêres, e-mails e mais material anunciando congressos, encontros de pastores, fórmulas para fazer a igreja crescer, a vida espiritual engrenar, ser mais abençoado. Cada dia se descobre um novo método para sermos felizes (a igreja não prega nem busca santidade, e sim felicidade). Cada dia surge uma receita nova para a igreja sobreviver. Métodos substituem o Espírito Santo e gurus substituem a Bíblia. Um “apóstolo” de Campinas sempre me envia cartas, querendo me “tutelar”. Ignoro seu retrospecto.

            Assim como o sistema manipula informações dando pão e circo midiático ao povo, há um sistema pervertido que manipula a igreja com o frenesi de métodos, modelos e gurus. Oração, santificação e leitura bíblica que são o caminho mostrado pela Bíblia foram substituídas por movimentação. Temos informações irrelevantes, congressos às pencas e, ao mesmo tempo, escassez de santidade e autoridade espiritual. A igreja precisa mais de santos, de crentes sérios, e menos de festança. Confiar mais na graça e no poder de Deus e menos em promoção humana. Mais seriedade, com informação de conteúdo (ensino bíblico) e menos  informação diletante. A mídia nos enche de banalidade e dá pouco do necessário. Muito do movimento evangélico também ressoa banalidade e pouco do que precisamos.

            Não se amolde à mediocridade cultural. Menos ainda à espiritual. Busque conteúdo. Sua vida será enriquecida. Principalmente sua vida espiritual.  Não consuma bobagem. Alimente-se bem. Seja sério, e não viva apenas do forrobodó.

 

Isaltino Gomes Coelho Filho