“Se estes se calarem…”

“Se estes se calarem…”

 

            “Ao que ele respondeu: Digo-vos que, se estes se calarem, as pedras clamarão” (Lc 19.40).

            Com base nestas palavras de Jesus, vez por outra, alguém, desafiando a igreja à obra missionária, diz que se não proclamarmos o evangelho, as pedras clamarão. A afirmação é bem intencionada, mas merece reparos, pois Jesus não disse isto. Este equívoco vem se repetindo há muito tempo em nosso meio, e é um tiro no pé.

O contexto do texto esclarece bem. Os discípulos, entusiasmados com a entrada de Jesus em Jerusalém, começaram a louvar a Deus e a gritar: “Bendito o Rei que vem em nome do Senhor; paz no céu e glória nas alturas”. Incomodados, os fariseus pediram a Jesus que os repreendesse. Foi então que ele deu a resposta contida em Lucas 19.40. Que é bem específica: “se estes se calarem”. Que ele era o Rei prometido, o Messias esperado, era tão gritante, que se seus discípulos se calassem, as pedras proclamariam isto. O contexto não é de evangelização ou missões. Jesus não disse que pedras evangelizariam. Só seus seguidores podem fazer isto.

            A tarefa de pregar o evangelho é tão restrita aos discípulos de Jesus, que os anjos gostariam de desempenhar esta tarefa (1Pe 1.12) e não conseguiram o privilégio.

Na realidade, se não evangelizarmos nem fizermos missões, ninguém o fará. E se fosse assim, se as pedras clamassem em nosso silêncio, melhor seria acabar com as juntas missionárias e enviar caminhões de brita para os campos.

Investir na obra missionária, manter missionários, orar pelos pregadores do evangelho e dar-lhes condições de viverem e desempenharem sua tarefa é responsabilidade de toda a igreja de Cristo. Os obreiros cristãos em geral, e os missionários em particular, não são fracassados que, não dando certo na vida secular, optaram pela caridade eclesiástica. São pessoas que têm uma visão espiritual e comprometeram suas vidas com o evangelho. Não são inferiores, mas pessoas com uma vocação específica, inspirada pelo Espírito Santo.

Missões estaduais é uma lembrança de que missões começam perto de nós. Não é apenas a lugares distantes que devemos ir, mas ao nosso bairro e cidade (missões urbanas), estado (missões estaduais), ao Brasil (nacionais) e ao mundo (missões mundiais).

No encerramento do congresso de evangelização mundial de Lausane, Suíça, que visou despertar a liderança evangélica para a evangelização do mundo, Billy Graham pregou o sermão de encerramento. O título foi “Por que Lausane?”. Ele encerrou uma fantástica pregação com esta pergunta e deu a resposta: “Para que o mundo inteiro ouça a sua voz”.

Missões é a obra da igreja para que o mundo inteiro ouça a voz de Deus, voz que se encarnou na pessoa de Jesus. É uma obra que desafia a todos nós e que pede engajamento de toda a igreja. Não fique de fora. As pedras não farão o que devemos fazer. Ore por missões, contribua para missões, engaje-se em missões. Também é responsabilidade sua fazer com que o mundo inteiro ouça a voz de Deus.

 

Isaltino Gomes Coelho Filho