As Estrelas do Mar

“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos. E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum. E vendiam suas propriedades e bens, e repartiam com todos, segundo cada um havia de mister. E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração, Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.” (Atos 2.42-47)

Um escritor tinha sua casa perto de uma linda praia e, todo dia pela manhã caminhava à beira-mar buscando inspiração para escrever suas histórias no período da tarde. Numa manhã, enquanto fazia sua caminhada matinal, observou um vulto de um jovem ao longe e curioso aproximou-se para ver o que acontecia.

“Bom dia, o que você está fazendo?”, perguntou o escritor ao jovem. Sem parar seu trabalho, o jovem lhe respondeu: “Não vês? A maré está baixa e o sol muito forte, estas estrelas do mar vão secar e morrer”. Ainda sem entender o motivo de tanto trabalho infrutífero, pois o jovem podia estar mergulhando no mar, aproveitando a brisa fresca da manhã e ao invés disso, estava ali diante daquela paisagem maravilhosa devolvendo estrelas do mar ao oceano, retrucou: “E que adianta isso? Há milhares de quilômetros de praia neste mundo, milhares de estrelas do mar em cada praia, e que diferença faz devolver algumas ao oceano?”

O jovem olhou aquele homem, abaixou-se e apanhou mais uma estrela do mar e, segurando-a e mostrando-a, lhe disse em tom sério: “Para esta estrela do mar eu farei a diferença”. O escritor foi-se embora. Diferentemente dos outros dias, naquela tarde não conseguiu escrever. À noite não conseguiu dormir, pois as palavras do jovem ecoavam em sua cabeça: “Para esta estrela do mar eu farei a diferença.” Assim, na manhã seguinte, aquele homem voltou a praia e foi em busca do rapaz e o encontrou no mesmo lugar da praia, devolvendo estrelas do mar ao oceano. Aproximou-se dele, abaixou-se e apanhou uma estrela do mar e disse para si mesmo: “Para esta estrela do mar eu farei a diferença.” E a devolveu ao mar.

Houve um tempo em que a igreja do Senhor Jesus fazia a diferença em qualquer sociedade onde se fizesse representar. Houve um tempo no qual as pessoas que se aproximavam da igreja olhavam para a sua obra, e como o escritor de nossa história achava que aquele amor, aquele envolvimento, aquela dedicação não mudariam um mundo tão grande e com tantas pessoas como o nosso. Mas, não foi bem isso que aconteceu. Dia após dia, novas pessoas foram se apresentando para fazer diferença na sua casa, na sua rua, no seu trabalho, para os seus amigos, para os seus vizinhos, para a sua família, e assim, com tantas pessoas dispostas a fazerem a diferença em mundo tão cheio de maldade e de violência, a igreja de Cristo continuou crescendo.

Seja cada dia mais do Senhor Jesus e faça a diferença onde quer que você vá.