O Cavalo

           “Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos; Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.” (2Coríntios 4.8-9;18)

Um fazendeiro possuía alguns cavalos que costumava utilizar para os mais diversos serviços em sua fazenda. Um dia, um de seus funcionários veio procurá-lo com a notícia de que um dos cavalos tinha caído em um buraco. O fazendeiro, ouvindo a notícia, pediu ao seu funcionário que o levasse até o local onde o acidente tinha acontecido e, chegando, analisou cuidadosamente a situação do animal e o custo do investimento para resgatá-lo. Depois de muito pensar e fazer contas chegou à conclusão de que não valia a pena bancar o custo para retirar o animal do buraco. Deu ordem ao funcionário para que cobrisse com terra o buraco com o cavalo dentro, evitando assim que outro animal caísse no mesmo buraco e foi embora. O funcionário chamou alguns auxiliares e começaram a jogar terra no buraco para enterrar o cavalo e cumprir a ordem do patrão, porém, todas as vezes que uma pá de terra era lançada em cima do cavalo ele sacudia a terra e pisava nela. Logo, os funcionários perceberam que o cavalo não se deixaria enterrar, e ao contrário disso, ele usaria a terra lançada como um instrumento para sair do fundo do poço. E assim foi, até que saiu do buraco, livre e vivo.

           Paulo era um homem de Deus com autoridade para falar sobre as adversidades da vida, mas ao contrário de muitos, as adversidades eram consideradas por ele como momentâneas diante da graça maior que o esperava. Ele sabia que elas viriam, mas o seu olhar estava na glória preparada por Jesus para o seu povo.

           Considere a história do cavalo e a sua disposição em viver, considere as palavras de Paulo e a sua alegria em viver o presente e esperar a glória de Cristo no futuro. Considere a sua vida, a sua alegria, a sua esperança, e se está abatido, considere o amor de Jesus por você e poderá, como Paulo, enxergar o invisível e ser vitorioso.