O Elefante

“Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta” (Hebreus 12.1)

Um homem assistia ao show em um circo. Viu a apresentação do elefante e ficou impressionado com a demonstração de força daquele animal. Observou, porém, que antes de sua apresentação aquele enorme animal estava sendo detido por uma corrente que ficava presa ao seu tornozelo a uma pequena estaca de madeira no chão. O homem ficou muito curioso, pois afinal de contas aquele animal poderia arrancar uma árvore do chão com a sua força e estava ali, quieto, preso por uma pequena estaca de madeira, fincada ao chão. Perguntou ao treinador porque aquele elefante não fugia. Como resposta foi informado de que o elefante não fugia porque era amestrado. Não satisfeito questionou ao treinador: “Se o elefante é amestrado, por que ele fica preso então?” O treinador não conseguiu responder a esta pergunta, e o homem foi embora com esta questão na cabeça.

Alguns anos depois, este homem encontrou-se com outro treinador e fez as mesmas perguntas, só que desta vez obteve a resposta. Este novo treinador ensinou-lhe como funcionava o treinamento dos elefantes. Eles são presos ainda bem pequenos à corrente presa na estaca. O pequeno elefante coloca toda a sua força para livrar-se das correntes, mas não consegue. Tenta livrar-se várias vezes, mas como nunca consegue, desiste desta tarefa e nunca mais tentamvencer as correntes que o prendem, apesar de, ao serem adultos e de terem uma força gigantesca, poderem arrebentar as correntes e arrancar não só a estaca do chão como até mesmo uma árvore.

Muitos de nós nos comportamos como os elefantes. Ficamos presos aos nossos pecados, que são como correntes e depois de tentarmos nos libertar utilizando todas as nossas forças e não conseguindo, desistimos e nos tornamos cativos das correntes do pecado.

O escritor do livro dos Hebreus propõe que abandonemos o pecado, olhando com firmeza para todos os exemplos que temos à nossa volta e nos desafia a olhar para frente, confiados no poder daquele que já nos libertou do pecado através de sua morte na Cruz do Calvário, nos fazendo fortes o bastante para sermos liberto do poder do pecado em nossas vidas..