O poder do toque de Jesus

Por Balnires Jr.

Ora, descendo ele do monte, grandes multidões o seguiram. E eis que um leproso, tendo-se aproximado, adorou-o, diztoqueendo: Senhor, se quiseres, podes purificar-me. E Jesus, estendendo a mão, tocou-lhe, dizendo: Quero, fica limpo! E imediatamente ele ficou limpo da sua lepra. Disse-lhe, então, Jesus: Olha, não o digas a ninguém, mas vai mostrar-te ao sacerdote e fazer a oferta que Moisés ordenou, para servir de testemunho ao povo. (Mateus 8.1-4)

Tendo encerrado o primeiro dos cinco grandes sermões de Jesus, Mateus reinicia a narrativa bíblica agora apresentando uma série de milagres.


Durante seu ministério, Jesus operou grandes milagres que têm sido confirmados tanto em escritos cristãos como nos não-cristãos e até mesmo por opositores de Jesus, embora estes atribuíssem a realização destes milagres a magias e encantamentos.


Mas Jesus não era um MAGO, ele era, é, e sempre será o Filho do Deus Vivo, que veio a este mundo com uma missão pessoal, intransferível e muito especial, reconciliar-nos com Deus.


A atenção especial do evangelista neste ponto é ressaltar que Jesus tem poder. O Ministério de Louvor da nossa igreja costuma cantar um cântico que exalta exatamente isso:
“Cristo move as montanhas e tem poder para salvar, tem poder para salvar.”


Esta era a maior preocupação de Mateus. Deixar de uma maneira muito clara as comunidades para as quais escreve que o poder de Jesus não se limitava a um tipo de enfermidade. É isso que percebemos na leitura de todo o capítulo oito e dos demais.


Jesus curou leprosos, paralíticos, cegos, febris, hemofílicos, epiléticos, expulsou demônios, ressuscitou mortos, demonstrou seu poder sobre a natureza acalmando o mar e o vento. Este é Jesus.


No texto que lemos temos a história de um homem leproso.


“Ora, descendo ele do monte, grandes multidões o seguiram. E eis que um leproso, tendo-se aproximado, adorou-o, dizendo: Senhor, se quiseres, podes purificar-me.” (Mateus 8.1-2)

Assim como é a AIDS em nossos dias, a lepra antigamente era uma doença terrível e temida, porque não se conhecia a cura. Recursos médicos para o tratamento da enfermidade eram inexistentes.

Quando se suspeitava que uma pessoa estava com lepra, este era levado a presença do sacerdote que, constatando a enfermidade o retirava do convívio com sua família, com a sociedade onde vivia e o mandava para uma comunidade de leprosos e lá ele ficava até que morresse ou milagrosamente melhorasse.

Este era o homem do texto que lemos. Um leproso. Alguém que era discriminado, humilhado, digno de pena, mas me chama a atenção na leitura do texto que enfrentando todos estes problemas este homem era um Adorador! O texto nos diz que ele ADORAVA a Jesus.


Tenho feito um destaque especial nesta direção: Adorarmos a Deus quando as coisas estão boas é muito fácil, é maravilhoso, torna-se até uma distração. Mas, abrirmos nossos lábios e expressarmos a nossa gratidão para com Deus e o louvor perfeito que a Ele devemos quando estamos lá no fundo do buraco é algo para poucos. E dentre esses poucos, encontrava-se este homem.


Um homem doente sim! Com problemas sim! Mas um adorador.

Assim como a lepra o pecado também é uma doença terrível com a qual todos nós estamos infectados.


“Todos pecaram!”. Esta é a realidade que a Bíblia nos apresenta, realidade esta que não é difícil de ser constatada.


Ao ligarmos a Televisão, acessarmos a internet, ouvirmos o rádio, lermos o jornal as noticias são: VIOLÊNCIA – INJUSTIÇA – DISCRIMINAÇÃO – ABANDONO – VINGANÇA – ÓDIO. E tantas outras coisas que estão diante de nós todos os dias. E a pergunta que não quer calar é: será que existe uma solução?


“E Jesus, estendendo a mão, tocou-lhe, dizendo: Quero, fica limpo! E imediatamente ele ficou limpo da sua lepra.” (Mateus 8.3)

Existe uma solução sim! Existe uma alternativa para sermos curados. Existe uma alternativa para sermos tratados, para mudarmos de vida, Jesus!

No tempo desta história, segundo a Lei Mosaica era proibido tocar em alguém leproso. Mas essa proibição existia por causa da contaminação, podia-se contrair a lepra somente em se tocar em um leproso.


Mais Jesus tocou naquele homem.
“E Jesus, estendendo a mão, tocou-lhe…” Só que o toque de Jesus era diferente. E através desse toque Cristo trouxe a vida, a cura para a vida daquele que era um leproso. E Jesus fez mais. Além de curar, Jesus resgatou a dignidade daquele homem, agora ele poderia voltar ao convívio da sociedade e de sua família.


Ele foi transformado de uma maneira completa. O milagre aconteceu!


Interessante observamos que muitas pessoas hoje não tem dificuldade para crer na cura e restauração na vida daquele homem. Muitas pessoas hoje, talvez seja o seu caso, crêem nos milagres que Jesus fez, mas são poucas pessoas que se entregam ao amor milagroso de Jesus.

Faltaram palavras para João comparar o amor de Deus para conosco. Escrevendo no capítulo 3, versículo 16 ele diz que “Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu único filho para todo aquele que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna.”

O poeta sacro muito bem escreveu exclamando: “Oh! que amor glorioso! Preço tão grandioso Que Jesus por mim na cruz pagou; Inaudita graça me mostrou!

Este é o amor maravilhoso de Deus para conosco. Jesus entregou-se a si mesmo para que através da sua morte, vida nos fosse concedida.

“E Jesus, estendendo a mão, tocou-lhe, dizendo: Quero, fica limpo! E imediatamente ele ficou limpo da sua lepra.” (Mateus 8.3)


Somente o toque curador, libertador de Jesus pode remover milagrosamente os nossos pecados e dar-nos uma vida diferente.


“Disse-lhe, então, Jesus: Olha, não o digas a ninguém, mas vai mostrar-te ao sacerdote e fazer a oferta que Moisés ordenou, para servir de testemunho ao povo.” (Mateus 8.4)


A vida deste homem serviu de testemunho! Testemunho de que Jesus tem poder para curar, para libertar, para transformar vidas, poder para restaurar, para confortar, para apresentar respostas a todos os nossos questionamentos, e o poder que somente Ele tem para salvar.

E o mais lindo nesta mensagem é que Jesus operou este e tantos outros milagres não para mostrar as pessoas a sua divindade, ou como forma de avalizar a sua mensagem. Ele realizou milagres no passado, realiza milagres hoje porque Ele me ama. Ele te ama! Na consumação da sua missão, lá na cruz, através de sua morte e ressurreição Ele declarava com aquele gesto de humildade, todo o amor que Ele tem por mim e por você.


E a maior de todas as notícias. Este mesmo Jesus que fez tantas maravilhas no passado está vivo e pode fazer grandes coisas na sua vida também. Basta você entregar o seu coração para Ele.

Que Deus te abençoe!