“É VERDADE… DEUS NOS DISSE…NÃO MORRERÃO COISA NENHUMA!”

“A cobra era o animal mais esperto que o Deus Eterno havia feito. Ela perguntou à mulher: – É verdade que Deus mandou que vocês não comessem as frutas de nenhuma árvore do jardim? A mulher respondeu: – Podemos comer as frutas de qualquer árvore,

menos a fruta da árvore que fica no meio do jardim. Deus nos disse que não devemos comer dessa fruta, nem tocar nela. Se fizermos isso, morreremos. Mas a cobra afirmou: -Vocês não morrerão coisa nenhuma! Deus disse isso porque sabe que, quando vocês comerem a fruta dessa árvore, os seus olhos se abrirão, e vocês serão como Deus, conhecendo o bem e o mal”. (Gênesis 3.1-5)

Isaltino Gomes Coelho Filho

Estranho diálogo. A cobra (NTLH) faz uma pergunta torcida. Má intencionada, pergunta se é verdade que Deus proibiu ao casal todas as frutas do jardim. Insinua a má vontade do Criador para com a criação. Atribui-lhe maldade. “É verdade que Deus mandou?” começa ela. O Tentador foi o primeiro exegeta da Palavra de Deus. Falar da Palavra de Deus nem sempre quer dizer que a pessoa está certa. A Bíblia já foi usada para legitimar a escravidão, o machismo, e agora alguns a usam para justificar o homossexualismo. Crentes ingênuos, que nao entendem nada, por vezes dizem: “O que importa é que a Palavra de Deus está sendo pregada, e ela não volta vazia” (outra exegese estrambótica). Isso justifica qualquer heresia e todo uso da Bíblia para fins pessoais. Devemos ter cuidado com interpretações que fogem claramente ao sentido das Escrituras. Há gente que está descobrindo agora o que nunca alguém viu em 2.000 anos de cristianismo e mais de 3.500 anos de Palavra de Deus! Todo grupo herético afirma que a Bíblia é a Palavra de Deus, e depois a analisa por Helen White, Livro do Mórmon,  revelações, reescrita da Bíblia (como testemunhas de Jeová e outros). Citar a Palavra de Deus não é garantia de correção. Pode-se deturpá-la.

A resposta também é equivocada: “Nem tocar nela”, diz Eva. Deus proibiu comer, mas ela exagera: nem tocar. Torcer a Palavra de Deus é pecado. Tirar dela é errado. Acrescentar também. Eva colocou suas palavras como sendo de Deus. Há gente que coloca seu ensino em nível de igualdade com as Escrituras. Chama seus insights de “revelação”. Põe em Deus a culpa de suas idéias.

Parece que Eva achava isso muito pesado. Era a única restrição de Deus, em tantos benefícios e bênçãos! Faltou-lhe entender aquilo que João pôs em palavras: “os seus mandamentos não são difíceis de obedecer” (1Jo 5.3). Muita gente acha difícil obedecer a Deus. Seleciona seus mandamentos, ou simplesmente ignora-os.

Primeiro, o Tentador torce a Palavra. Depois, a mulher exagera a Palavra. Daí para a negação foi um pulo: “Vocês não morrerão coisa nenhuma!”. A falta de seriedade no trato com a Palavra de Deus e a insubordinação a ela, recusando o que não nos agrada, leva, inevitavelmente, à negação da voz de Deus.

Precisamos ter os olhos abertos para as novas hermenêuticas que surgem. As tentativas de “contextualizar a Bíblia aos novos tempos” são exegese da serpente. A Bíblia é juíza, e não ré. Ela julga os homens e eles devem se amoldar a ela, não o contrário. Precisamos ter os olhos abertos para os que torcem a Palavra de Deus com interesses escusos. Há muito comércio da fé e muito enriquecimento pessoal com o evangelho. E precisamos entender que os mandamentos de Deus não são pesados e foram dados para o  nosso bem.

Acatar a Palavra de Deus, sem tergiversar e sem desculpas. Eis nosso desafio.