ESGOTAMENTO EMOCIONAL

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central  de Macapá, 17.10.10

Antigamente se falava “esgotamento emocional”. Hoje se fala “estresse”, que alguns grafam stress.  Muitos de nós, mesmo sendo fiéis e tementes a Deus, nos estressamos por causa de contingências da vida.  O Dr. Thomas Holmes e alguns colegas de trabalho estudaram o esgotamento emocional e o mediram através do que chamaram de “unidades de mudança de vida”. Na escala que elaboraram, a viuvez valia 100 unidades de mudança de vida. O divórcio, 73 unidades. A gravidez correspondia a 40 e a reforma de uma casa a 25. O natal, que deveria ser um momento de tranqüilidade, também pesava. Eqüivalia a 12 unidades.

Eles concluíram que pessoa alguma pode suportar, com suas próprias forças, mais de 300 unidades no período de um ano sem conseqüências físicas ou emocionais nos dois anos seguintes. Por vezes, com conseqüências sérias.

Um cristão não está imune a crises. O próprio Jesus teve pavor e se angustiou (Mc 14.33). Sua agonia foi tão grande que suou sangue (Lc 22.44), fenômeno conhecido como hemaditrose, muito raro, possível apenas em casos de extrema angústia, de pavor mesmo. Era o peso dos pecados da humanidade sobre ele.  Nesta crise, “lhe apareceu um anjo do céu que o confortava” (Lc 22.43). Não ficou só. O cristão sofre, como o Salvador sofreu. Mas é confortado. Não por anjos, mas pelo próprio Senhor Jesus. Por causa do que ele passou, diz Hebreus 7.25: “Portanto, pode também salvar perfeitamente os que por ele se chegam a Deus, porquanto vive sempre para interceder por eles”. A Bíblia diz que temos um Grande Intercessor por nós.

O Espírito Santo é chamado de “Ajudador” (Jo 14.16). O termo grego é Parácleto, “que anda ao lado”. Há um que intercede por nós e outro que anda ao nosso lado. Por maior que seja nossa luta, não estamos sós. Deus diz: “Não te deixarei nem te desampararei” (Hb 13.5).

Se você sofre, isto não significa que esteja pagando algum pecado ou que Deus o abandonou. O sofrimento faz parte da vida. Morte, pranto, lamento e dor só passarão quando o reino de Deus se consumar (Ap 21.4). Até lá, lembre das palavras de Jesus: “Tenho vos disto estas coisas, para que em mim tenhais paz. No mundo tereis tribulações, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” (Jo 16.33). Lembre-se que Paulo que, em uma grave crise, pediu a Deus que o livrasse. Deus não o livrou, mas Paulo registrou o que o Senhor fez na sua vida, e como isto o amadureceu: “E ele me disse: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. Por isso, de boa vontade antes me gloriarei nas minhas fraquezas, a fim de que repouse sobre mim o poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco, então é que sou forte” (2Co 12.9-10).

Você nunca está sozinho. Se, eventualmente, Deus não livrá-lo em pouco tempo, espere. Ele está agindo na sua vida para amadurecê-lo. Assim, em vez de esgotamento emocional, você terá crescimento espiritual.

De quem se esgotou muitas vezes, mas foi fortalecido pela graça,

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho