ANDRÉ – JOÃO 01.35-40 – “Um discípulo que acrescenta à vida dos outros”

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

INTRODUÇÃO

André é o grego Andros, “homem”. Significa varonil, másculo, com a idéia de alguém valoroso. Era irmão de Simão Pedro: Mateus 4.18. Foi discípulo de João Batista, que lhe apontou Jesus Cristo. André foi atrás, passou a tarde conversando com Jesus e levou Pedro até ele: João 1.35-42. Parece que a conversa terminou aí, até que Jesus encontrou os dois, no trabalho deles, e os chamou para segui-lo: Mateus 4.18-19. Por isso, os dois largaram tudo. Foi uma decisão maturada. Pedro foi “evangelizado” por André e conheceu Jesus na casa deste. Depois André e Pedro foram desafiados por Jesus e aceitaram. Há gente que pensa, à luz de Mateus 4.18-19, que Pedro e André nunca tinham visto a Jesus, que ele apareceu de repente, e eles o seguiram, hipnotizados. Houve um encontro anterior. Se Pedro é impulsivo, André é o comedido. Pensa e compartilha com os outros.

1. UM HOMEM COM ALMA DE DISCÍPULO

Em João 1.35, é discípulo do Batista. Em João 1.40, de Jesus. Aprendeu a lição ensinada por João. Queria sempre o melhor. Jesus não o convidou. Foi atrás: João 1.37. Discípulo é “quem aprende de outro”. André gostava de aprender: Marcos 13.3. Acatou liderança do Batista, de Jesus, do irmão. Duas boas lições: (1) Seguia a João Batista e foi atrás de Jesus. Buscava o melhor. Que tipo de melhor buscamos? FSP de 15.11.7: mulher jejuou até morrer esperando um emissário de Deus que a levaria da Baixada para a Zona Sul do Rio. (2) Discípulo não é título de nobreza, mas condição de aprendiz. As igrejas têm muitos nobres e poucos aprendizes. André é um aprendedor.

2. UM HOMEM COM MENTE PONDERADA

Fala pouco. Só o que beneficia.  Há gente que fala demais. Era confiável. Na entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, gregos querem ver Jesus. Procuram Filipe. Não se sentiu seguro. Além de Jesus estar ocupado, havia o nacionalismo judaico. Jesus era para estrangeiros ou só para judeus?  Procurou André: João 12.20-22. Ele tinha soluções: João 6.5-9. Filipe não tinha. Tinha mais problemas. Há crentes que sempre aumentam os problemas. Há como André, buscando soluções.  Ele encontrou. Levou o menino a Jesus. Homem que pesava as coisas. Mente ativa a serviço de Cristo. Para muitos ser inteligente ou pensar é pecado. André era homem de pensar.

3. UM HOMEM COM CORAÇÃO MISSIONÁRIO

João 1.40-41. Fez a maior descoberta da sua vida. Compartilhou. Primeiro fruto, o irmão. V. compartilha sua fé? Com sua família? Maior credencial: ganhar o lar para Cristo. Evangelista com família incrédula? Eusébio: chegou a Cítia (padroeiro da Rússia). Padroeiro da Escócia. Igreja Anglicana (Episcopal): 30 de novembro é o dia de Sto. André, dia de missões. Crucificado na Grécia, na Acaia. Correu mundo. Novo Dicionário de Davis, p. 78, e Doze homens comuns, de MacArthur, p. 80.

CONCLUSÃO

Viveu à sombra do irmão. Citado em conexão com Pedro. Opaco? Não! O primeiro a ouvir que Jesus era o Cordeiro de Deus. Modelo: trabalha em silêncio, nos bastidores, de forma construtiva. Há bastidores de igreja que não são sadios. Os bastidores de André eram.  Evangelista de mão cheia, sem estardalhaço. No dia de sua morte deve ter ouvido “servo bom e fiel”. Que ouviremos? Sejamos discípulos que acrescentam à vida dos outros.