FAÇA BOAS ESCOLHAS

“Mas, se vos parece mal o servirdes ao Senhor, escolhei hoje a quem haveis de servir…” (Js 24.15).

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Pastoral do boletim da IB Central de Macapá, 26.12.10

Israel ia entrar em uma nova etapa em sua vida. O líder da conquista de Canaã, Josué, sairia de cena: “Eis que vou hoje pelo caminho de toda a terra…” (Js 23.14). Ele conclama o povo a reafirmar seu compromisso com Deus e o exorta a escolher a quem servir. Mas define: “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24.15).

Não sou Josué nem estou me programando para morrer nestes dias, embora esteja preparado para partir a qualquer momento. Mas lembro que em poucos dias iniciaremos uma nova etapa em nossa vida: 2011. Há uma grande mística nisso. Na realidade, apenas trocaremos o calendário. Nossas contas não serão zeradas nem nossos problemas solucionados por causa disso. Não emagreceremos ou engordaremos, nem melhoraremos ou pioraremos pelo fato de entrarmos em 2011. O foguetório da passagem de ano me recorda o título de uma peça de Sheakespeare: “Much ado for nothing” (“Muito barulho por nada”). Porque nada muda.

A euforia tem uma base psicológica: seria bom passar uma borracha nos erros e frustrações de 2010. E vem a sensação de que com um novo ano podemos fazer isso. Assim, as pessoas fazem as famosas listas de resoluções de ano novo, com uma série de coisas que prometeram fazer no ano que finda e não fizeram. E, na maior parte das vezes, não farão no novo ano: “Prometo fazer regime”, “Prometo não brigar com meu cônjuge”, “Prometo ser melhor filho (a)”, etc.

Mas nada muda se nada muda. Se não nos decidirmos a mudar, nada mudará. A vida não mudará porque trocaremos de ano. Mudará se nós mudarmos. E para mudarmos precisamos fazer boas escolhas. Precisamos ter coragem de rejeitar o mal, dizendo um convicto “não” ao erro, e optar pelo bem, dizendo um caloroso “sim” ao que sabemos ser certo. A vida consiste de escolhas. Não somos vítimas de astros nem do número de letras de nosso nome. Somos agentes de nossa vida. Tomamos decisões, algumas simples, outras complexas. E Deus nos responsabiliza por elas. Paulo disse a Agripa que quando Jesus lhe apareceu e o chamou para ser apóstolo, ele não desobedeceu à visão celestial (At 26.19). Deus o chamara desde o ventre da mãe (Gl 1.15), mas não decidiu sua vida. Ele escolheu obedecer a Deus. Nós escolhemos.

Em 2011, faça boas escolhas.  Escolha ser um cristão melhor. Um membro de igreja mais engajado, mais entregue. Escolha ser uma pessoa melhor. Escolha ser um familiar melhor.

Serão 365 dias para fazer escolhas. Em algumas acertaremos. Em algumas erraremos. Mas peçamos graça e sabedoria a Deus para fazermos boas escolhas. E que digamos no fim de 2011: “Acertei!”.