Um pouco sobre a sabedoria

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

INTRODUÇÃO

A questão da busca da sabedoria domina o livro.  Do estudo passado, vimos que a finalidade do livro está em 1.2-6. Vimos também que “sabedoria” é a palavra hokhmâ, cujo sentido é “ter orientação para viver bem”. Não é especulação, mas prática. É vivencial. Vimos também o que “sabedoria” não é. Hoje veremos um pouco mais sobre ela.

1. DE ONDE ELA VEM?

Da “boca de Deus” (2.6). Tiago reafirma isto (Tg 1.5). Mas ele não a empurra pela goela das pessoas. Deve ser adquirida (4.5). Isto requer vontade de tê-la. Sabedoria é algo que se busca. Não cai do céu. Deus quer que as pessoas vivam bem, se relacionem bem com as outras e que saibam gerenciar sua vida. Na Bíblia aprendemos a viver bem com Deus e com os outros. Estude a Bíblia, com fome, para aprender como você deve ser. O estudo sério da Bíblia amadurece a pessoa: Salmo 119.100.

 

2. COMO ELA SE DESCREVE?

No cap. 8 ela faz um discurso se oferecendo às pessoas. Eis uma descrição sua: (1) Ela existe desde antes da criação  (8.22-25). Isto significa que sua origem está em Deus. Ela é a primeira obra de Deus. Antes de criar a humanidade, ele criou princípios sábios para ela viver sabiamente. Em todo o livro isto implica em bons relacionamentos (guarde isto!). (2) Ela despreza quem a despreza e honra os humildes: 3.34. Arrogantes não a encontram.  (3) Embora se ofereça a todos, ela se dá a quem a ama e quem a procura cedo na vida a encontra: 8.17. É reciprocidade. (4) Ela ajuda a viver bem: 9.11. Para os orientais, uma vida tranqüila era sinal de bênção divina, de prosperidade. Para nós, é ter coisas. Para a Bíblia, é ter xalom, “paz”.  Assim entramos no tópico seguinte.

 

3. O QUE ELA PRODUZ?

Vida: 8.35. Não se trata de vida futura. O hebreu não se preocupava com a vida no além.  Sua fé era dimensionada na vida prática. As bênçãos do AT eram de ordem material. A vida com Deus era uma vida tranqüila, sábia. E longa: 9.11. O epitáfio de Jó: Jó 42.17. Quer viver bem? Busque a sabedoria! O temor do Senhor é odiar o mal: 8.13. Para Provérbios é rejeitar o mal e amar o bem (Am 5.4, 6 e 14). A felicidade está na santidade moral e ética. Não é apenas no culto, mas na vida relacional, em casa, no trabalho, em todas as esferas. A santidade envolve nossas relações com as pessoas.

 

CONCLUSÃO

Quer viver bem? Não ponha em primeiro lugar erudição, dinheiro, prestígio ou poder. Busque a sabedoria. Consulte a Deus. Nos próximos estudos veremos  tipos que não são sábios: o insensato, o escarnecedor, o homem violento, o preguiçoso. Veremos o amigo, o poder das palavras, e a disciplina da criança. Por fim, o homem justo, que usa de sabedoria. Seja como este, e não como os demais. Viva com Deus para ser feliz.