O TEMPO PASSA, O TEMPO VOA, AQUELA POUPANÇA NÃO EXISTE MAIS …

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá

          No dia 4 de agosto, ao pegar o “Manancial” para fazer o culto com Meacir, comentei: “Há 38 anos tomei posse no pastorado da PIB de Bauru”. Naquele 4 de agosto não me passava pela cabeça que 38 anos depois estaria no Amapá. Doze dias após a posse, nasceu meu filho, Beny. Nunca me passara pela cabeça que nós dois, cariocas, teríamos um filho paulista. Nem que aquele paulistinha, 38 anos depois seria arquiteto no sul do Pará, casado com uma jovem nascida em Conceição do Araguaia, e me daria dois  netos, um nascido em Belém e outro em Redenção, e que o casal seria ardoroso defensor da criação do estado de Carajás. A vida é assim.

Em 2010 preguei no aniversário da PIB de Paragominas, PA. Foi curioso. Na sexta-feira, Meacir pregou. Preguei no sábado e domingo à noite. Beny pregou domingo pela manhã. Foi um arranjo da igreja. No seu sermão, Beny falou da mulher que tinha um fluxo de sangue há 12 anos e da menina que morreu aos 12 anos. Perguntou: “Onde estávamos há 12 anos?”. Olhou-me e perguntou: “Onde o Pr. Isaltino estava há 12 anos?”. Respondi: “Aí no seu lugar, neste púlpito, pregando no aniversário da igreja”. Porque pregara no aniversário da PIB de Paragominas há exatos 12 anos antes. Na época não podia imaginar que meu filho pregaria naquele púlpito naquele dia e mês, doze anos depois. A vida é assim. Imprevisível! Não a determinamos nem sabemos o que nos acontecerá. “Não sabeis o que acontecerá no dia de amanhã“ (Tg 4.14).

O crente  em Jesus Cristo também ignora como será sua vida daqui a 12 anos. Muito mais daqui a 38 anos. Talvez eu esteja vivo daqui a 12 anos. Por certo que não estarei daqui a 38. A vida é surpreendente, mas tem fim. Como crente em Jesus, sei que daqui a 12 anos ou daqui a 100 anos eu e ele estaremos juntos. O tempo passa, mas quem tem sua fé alicerçada em Cristo sabe que a vida  é segura, e que Deus reserva coisas boas para seus filhos. Quem segue a Jesus não teme o futuro. A vida não lhe é incerta ou insegura. É fascinante. Deus cuida dos que a ele se entregam. “Porque desde a antiguidade não se ouviu, nem com os ouvidos se percebeu, nem com os olhos se viu outro Deus além de ti, que agisse em favor daqueles que nele esperam” (Is 64.4).

 

“O tempo passa, o tempo voa, e a Poupança Bamerindus continua numa boa”. A Poupança Bamerindus não existe mais. O tempo ainda passa e voa. Mas quem entrega a vida nas mãos do Senhor descobre que o melhor ainda está por vir. O dia 4 de agosto de 1973 foi bom! De lá para cá, tropeços, frustrações, dores, mas quanta riqueza por repartir a vida com Cristo. Hoje é melhor.

 

Por tudo isso, viva com Cristo. Dê-lhe sua vida. Vale a pena!