QUE OS FILHOS DA MÃE SEJAM FILHOS DOS PAIS

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 14.8.11

           No livro “Filhos da mãe”,  Antonio Lazarini Neto fala da ausência do homem na educação dos filhos. No Antigo Testamento, a tarefa de educar os filhos também era dos homens. Em Deuteronômio, o pai falaria ao filho quando estivessem no campo. O autor de Provérbios declara: “Meu filho”. Mesmo que fosse um mestre e não um pai falando, o homem tinha papel na educação.

No Oriente, ainda hoje, o homem educa os filhos. Mas em nossa cultura, o domínio do homem é o da rua e dos negócios, e o das mulheres é o da casa e dos filhos. Muitos homens entregam a educação dos filhos às esposas (casais há que encarregam babás e  escolas). Eles têm tarefa mais importante: o sustento. Mas a figura masculina é indispensável à criança. Ela precisa de um pai. O homem sinaliza ao filho o tipo de homem que ele deve ser. E sinaliza à filha o tipo de homem que ela deve procurar para se casar. Ou seja: o pai deve ser um modelo para os filhos. Se isto não acontece é problemático.

Há pais sem tempo para os filhos. E há os que não são bons modelos. Um jovem me disse que não queria ser um pai como o seu foi para ele. Outro disse que, na sua infância, quando seu pai chegava em casa, ele se urinava de medo. Brigaria com a mãe e o espancaria.

Há pais que são modelos. Transmitem valores e marcam as vidas dos filhos. Poucas coisas são tão belas como um pai chegando à igreja, com os filhos, e com a Bíblia na mão. Há coisa mais valiosa para um pai que seu filho se orgulhar dele?

No dia dos pais, exorto os pais cristãos a serem pais presentes. Que estejam com seus filhos, que lhes mostrem o evangelho em suas vidas e que estejam com eles na igreja. Pais que abandonam a igreja e não firmam nela seus filhos prejudicam-nos. Pais que amam a igreja e mostram isso a seus filhos ajudam-nos a se firmarem na fé.

Nos dias dos pais e das mães, geralmente nossas igrejas quase fazem um culto a eles. Eles devem ser honrados e respeitados. Sou pai. Sou avô. É bom ter o amor e o respeito de filhos e netos. Mas pais e mães precisam se lembrar que são os sacerdotes dos filhos. Devem instruí-los moral e espiritualmente. Devem orar por eles.

Parabéns, pais cristãos! Mas lembro-lhes que Deus lhes confiou filhos. Eles precisam de pais. Sérios, responsáveis, amorosos e fiéis a Deus. Lembro-lhes uma frase que li (onde?): “A maior coisa que um pai pode fazer pelos seus filhos é amar a mãe deles”. Vocês precisam assumir a liderança moral e espiritual do lar. Não pela força. Pelo amor. Amor à esposa. Amor aos filhos. Ajam de modo que seus filhos se orgulhem de vocês. Deus os capacite!