NÃO PERCA SEU BARCO

Pr. João Falcão Sobrinho

            Da janela do apartamento em que me hospedava em Macapá, eu podia ver o imenso Amazonas descendo pachorrento, sem pressa, para depositar no oceano a imensurável riqueza dos nutrientes que trazia desde suas nascentes no mundo amazônico. Eu estava em Macapá a fim de participar das celebrações do quadragésimo aniversário de ministério do Pastor Isaltino Gomes Coelho Filho, promovidas pela Igreja Batista Central de Macapá, que ele pastoreia. Um dos espetáculos mais belos que já pude ver em meus 81 anos de vida, assisti ali daquela janela: o nascer do sol como se o astro-rei estivesse saindo de dentro do grande rio, tingindo de rubro a imensidão de suas águas.

 

Podia ver também os barcos ancorados no cais e observar o temperamento calmo dos macapenses, como se a lerdeza do rio lhes impregnasse a própria alma. Tudo lá é feito devagar, com calma, não adianta se apressar porque o barco só pode zarpar quando o rio está cheio. Ali ancorado estava um barco de bom tamanho, cujo destino era Afuá, após três horas e meia de navegação. Aos poucos, o barco foi sendo tomado por centenas de passageiros com suas bagagens, redes e esperanças. Em dado momento, um tripulante tirou as amarras do barco e, com uma vara, afastou a proa da beira do cais, enquanto a prancha de acesso era removida e a porteira era fechada. Nesse exato momento, surge na avenida uma motocicleta em alta velocidade. Era um mototaxi com um passageiro na garupa. O homem gritava e gesticulava, evidentemente pedindo para que esperassem por ele. A moto chegou junto ao barco e, enquanto o passageiro tirava e devolvia o capacete e pagava a corrida, o barco já estava fora do alcance do seu embarque. O homem recolocou o capacete e voltou a montar na garupa da motocicleta visivelmente transtornado. Perdeu o último barco para Afuá. Por curiosa ironia, o nome do barco era FÉ EM DEUS. Eu vi um homem no cais em Macapá perder o barco que tinha por nome “Fé em Deus”.

 

Provavelmente, no dia seguinte, haveria outro barco para Afuá. Quem, porém, perder, não o barco, mas a fé em Deus, não terá outro barco que o leve ao destino para onde deseja ir sua alma, o destino da Glória. Infelizmente, muitos homens e mulheres hoje estão no cais da vida, mas perderam o barco da fé em Deus. Estão crendo em ídolos, em mitos, em sistemas filosóficos, estão crendo em homens que se autodenominam representantes de Deus, estão crendo em slogans promocionais de religião, estão crendo em instituições religiosas, mas perderam a fé em Deus. Se não se arrependerem e não abrirem o coração para uma verdadeira fé no verdadeiro Deus, ficarão no cais da vida, ante-sala do inferno e nunca chegarão aonde, no fundo no fundo, gostariam de chegar – o Paraiso. Por amor à sua alma e ao seu destino na eternidade, não chegue atrasado, não perca o barco FÉ EM DEUS. Creia em Deus, creia em Jesus Cristo que morreu por você na cruz do Calvário. Creia enquanto é tempo, pois chegará o momento em que você desejará embarcar, mas o barco da salvação já terá se afastado rio adentro e você entrará em eterno desespero, nunca mais terá outra chance de embarcar no único barco que poderá levá-lo à vida eterna: A fé em Deus, a fé na graça da salvação, a fé no Cristo que por você morreu na cruz do Calvário. Não se atrase. Aceite hoje mesmo o Senhor Jesus pela fé. Não há outro barco para a vida eterna.