VOCÊ FEZ BOAS ESCOLHAS?

              Intitulei a pastoral do boletim de 31.12.10 de “Faça boas escolhas”. Os dois últimos parágrafos foram estes, em itálico:

Em 2011, faça boas escolhas.  Escolha ser um cristão melhor. Um membro de igreja mais engajado, mais entregue. Escolha ser uma pessoa melhor. Escolha ser um familiar melhor.

              Serão 365 dias para fazer escolhas. Em algumas acertaremos. Em algumas erraremos. Mas peçamos graça e sabedoria a Deus para fazermos boas escolhas. E que digamos no fim de 2011: “Acertei!”.

Esta é a pastoral de fim de 2011. Você levou a sério que escrevi? Tornou-se um cristão melhor? Fazendo um balanço: você, como pessoa, melhorou? Sua situação econômica pode ter melhorado. Também sua vida profissional. Mas como gente, melhorou? Como discípulo de Jesus, melhorou?

Todos queremos melhoras em nossa vida. Li de um sociólogo norte-americano que no passado os imigrantes chegavam a seu país querendo melhorar espiritualmente. Buscavam liberdade religiosa, para praticarem sua fé segundo os ditames de sua consciência. Hoje chegam querendo carros maiores e casas mais imponentes. Muita gente age assim. Quer ter vida material melhor. Isto não é de todo errado. Mas nem todos querem ser pessoas melhores.

Há quem queira mudança nos outros, na política, na sociedade, no mundo. Mas continuam as mesmas pessoas. Lembram-me uma frase atribuída a Mark Twain: “Muita gente fala em mudar o mundo, mas ninguém quer mudar-se a si mesmo”. E a perplexidade de uma mãe cuja filha entrou para o Green Peace porque “queria arrumar o mundo”, mas era incapaz de arrumar o seu quarto.

Nada muda se nós não mudamos. Podemos melhorar financeiramente. Mas se permanecermos a mesma pessoa é inevitável que tenhamos os mesmos problemas. Se em 2011 você não melhorou como pessoa e como cristão, pode ter ganhado muito dinheiro, mas estagnou como gente.

Bem, 2012 chegou. Humildemente, posso dizer que melhorei em 2011. Talvez seja melhor dizer “despiorei”. E pretendo melhorar (ou “despiorar”) em 2012. Convido-o a investir na sua vida. No seu caráter. No seu temperamento. Na sua vida espiritual. Na sua maneira de tratar seus familiares. Na sua maneira de tratar os irmãos da igreja. Que tal menos críticas e mais intercessão? Que tal menos alheamento e mais engajamento? Que tal menos tempo para televisão e mais para leitura e reflexão?

Melhoremos todos neste novo ano. Que o mundo melhore a partir de nós.

Um abençoado 2012, como oração sincera do seu pastor,

 

Isaltino Gomes Coelho Filho