SOBRE A MORTE DE WHITNEY HOUSTON

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 19.2.12

              Morreu Whitney Houston. Um jornalista que acompanhava sua carreira escreveu um artigo com o título: “Infelizmente, era de se esperar”.  Bem triste, mesmo. Aventa-se a hipótese de afogamento na banheira. Talvez tenha sido. Talvez uma explicação misericordiosa.

Furto-me de falar dela. Outros o farão. Interessa-me um ponto: ela teve problemas com bebidas e drogas. Um articulista raso disse que é o ônus de ser artista. Estes, por força da arte, lidam com drogas. Ele levou Carlos Castañeda a sério. Drogas não potencializam arte. A bebida a estava impedindo de cantar. Milhões de pessoas não artistas bebem e se drogam. Como não têm visibilidade não são notadas.

Por que as pessoas estão se drogando e bebendo tanto? É-me claro: Porque são vazias. Falta-lhes algo. Os jovens estão bebendo mais cedo e mais pesado. Sendo entrevistados sobre isto, pela tevê, nada dizem de consistente. São fúteis. Papai dá carro e mesada, eles têm roupa de grife, celular moderno. Não andam de trem cheio. Não acordam às 6 da manhã, não comem de marmita,  não dão duro para ajudar em casa. Não estudam à noite, cansados. Eles têm em demasia. Tudo lhes é fácil, sem lutas. Bolso cheio, alma vazia.

“Eis que esta foi a iniqüidade de Sodoma, tua irmã: Soberba, fartura de pão, e abundância de ociosidade teve ela e suas filhas; mas nunca fortaleceu a mão do pobre e do necessitado” (Ez 16.49). O excesso de bens e o ócio tornaram Sodoma imoral e insensível. Pais que dão tudo aos filhos sem exigir empenho na vida e seriedade nas atitudes estão agindo corretamente? Disciplina é repressão?

Falta rumo aos jovens. Eles são netos da geração dos anos 60, quando era proibido proibir. Esta é a terceira geração sem regras e proibições. Tanto que a maior parte das leis é para tirar regras e levantar cercas contra o “falso moralismo”. O “novo imoralismo” impera.

Precisamos de disciplina e de leis (não só  para enquadrar quem discorda do homossexualismo). Precisa-se repensar com seriedade o modelo de vida que teóricos que dominam a mídia e a educação empurram pela goela do povo.

“Porque o SENHOR conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá” (Sl 1.6). “Conhece” é  o mesmo verbo usado para conjunção carnal entre um homem e uma mulher. Sua idéia é “fazer parte de”. “Perecerá” traz a idéia de ir para lugar algum, um beco sem saída. A sociedade caminha para um beco sem saída.

Não podemos obrigar o mundo a seguir nosso caminho. Mas devemos orientar nossos jovens. Pais cristãos: cuidem de seus filhos: “Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele” (Pv 22.6). Eduquem no SENHOR, que os “conhecerá”.