GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 3

IGREJA BATISTA CENTRAL DE MACAPÁ

GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA – 3

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

 

INTRODUÇÃO

Começamos pela doutrina da Escritura Sagrada. A segunda doutrina a estudar é a doutrina de Deus. Abrimos o estudo e falamos de Deus, triunidade e trindade, e um pouco sobre Deus Pai. Hoje, falamos sobre Deus Filho. Deus Filho é como nos referimos a Deus quando ele se fez homem. Deus pode tudo. Então, pode ter assumido forma humana. Assumiu. Na pessoa histórica de Jesus de Nazaré. Assim sendo, falemos do Filho.

 

I. Deus

2- Deus Filho

Jesus Cristo, um em essência com o Pai, é o eterno Filho de Deus.1 Nele, por ele e para ele foram criadas todas as coisas.2 Na plenitude dos tempos ele se fez carne, na pessoa real e histórica de Jesus Cristo, gerada pelo Espírito Santo e nascido da Virgem Maria, sendo, em sua pessoa, verdadeiro Deus e verdadeiro homem.3 Jesus é a imagem expressa do seu Pai, a revelação suprema de Deus ao homem.4 Ele honrou e cumpriu plenamente a lei divina e revelou e obedeceu toda a vontade de Deus.5 Identificou-se perfeitamente com os homens, sofrendo o castigo e expiando a culpa de nossos pecados, conquanto ele mesmo não tivesse pecado.6 Para salvar-nos do pecado, morreu na cruz, foi sepultado e ao terceiro dia ressurgiu dentre os mortos e, depois de aparecer muitas vezes a seus discípulos, ascendeu aos céus, onde, à destra do Pai, exerce o seu eterno sumo sacerdócio.7 Jesus Cristo é o único Mediador entre Deus e os homens e o único e suficiente Salvador e Senhor.8 Pelo seu Espírito ele está presente e habita no coração de cada crente e na igreja.9 Ele voltará visivelmente a este mundo em grande poder e glória, para julgar os homens e consumar sua obra redentora.10
(1) Sl 2.7; 110.1; Mt 1.18-23; 3.17; 8.29; 14.33; 16.16,27; 17.5; Mc 1.1; Lc 4.41; 22.70; Jo 1.1,2; 11.27; 14.7-11; 16.28
(2) Jo 1.3; 1Co 8.6; Cl 1.16,17
(3) Is 7.14; Lc 1.35; Jo 1.14; Gl 4.4,5
(4) Jo 14.7-9; Mt 11.27; Jo 10.30,38; 12.44-50; Cl 1.15,19; 2.9; Hb 1.3
(5) Is 53; Mt 5.17; Hb 5.7-10
(6) Rm 8.1-3; Fp 2.1-11; Hb 4.14,15; 1Pe 2.21-25
(7) At 1.6-14; Jo 19.30,35; Mt 28.1-6; Lc 24.46; Jo 20.1-20; At 2.22-24; 1Co 15.4-8
(8) Jo 14.6; At 4.12; 1Tm 2.4,5; At 7.55,56; Hb 4.14-16; 10.19-23
(9) Mt 28.20; Jo 14.16,17; 15.26; 16.7; 1Co 6.19
(10) At 1.11; 1Co 15.24-28; 1Ts 4.14-18; Tt 2.13

 

Observe nesta declaração:

1. Jesus é o Eterno Filho de Deus. Ele entrou no mundo, num determinado tempo, mas é eterno (Jo 1.1-3, 14). Sua entrada na história não é o início de sua existência (Jo 17.5).

2. Ele é a causa e a finalidade do universo, não apenas o Salvador. Veja o item 2 e Efésios 1.10.

3. Não era meio Deus e meio homem, mas completamente homem e completamente Deus. Não um homem divino ou um Deus humano, mas Deus-Homem.

4. Sua morte foi vicária (“no lugar de”). A morte de Cristo é o ponto central da história. Nela se efetuou a redenção dos homens. Gálatas 4.4 chama a encarnação de “plenitude dos tempos”. A cruz foi o clímax de sua encarnação.

5. Ele é o único Salvador dos homens. Não são obras nem religiosidade, mas ele. Lembremos de Atos 4.12 e 1Timóteo 2.5.