Arquivo mensais:julho 2011

ESTUDO BÍBLICO NO SALMO 23

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

 

INTRODUÇÃO

O mais conhecido dos salmos. Chamado de “salmo do bom pastor”. Há várias maneiras de analisá-lo. Uma delas é a maneira linear, como fazemos hoje. Façamos, então, a análise linear do Salmo, vendo os versículos em seqüência.

 

 

V. 1 – O Senhor é o meu pastor; nada me faltará – Tese do salmo na primeira declaração. A conseqüência vem na segunda parte. Porque Iahweh é o pastor, nada falta. “Pastor” se aplicava ao homem que cuidava de ovelha (vv. 1-4) e ao líder humano (vv.5-6).

 

V. 2 – Deitar-me faz em pastos verdejantes; guia-me mansamente a águas tranqüilas – Na primeira declaração, vemos o cuidado na alimentação. Era difícil achar pastos verdes no  deserto. Mas o Senhor provê isto. Na segunda, ele conduz a ovelha às águas. Ovelhas só bebem em águas paradas, calmas, nunca agitadas. O versículo fala da provisão de quem confia no Senhor. Ele toma os cuidados necessários, mesmo que sejam especiais.

 

V. 3 – Refrigera a minha alma; guia-me nas veredas da justiça por amor do seu nome – No calor do deserto se precisa de frescor, de refrigério. O Senhor refrigera a alma. Alma é o hebraico nephesh¸ e significa a integralidade da pessoa, o âmago. De novo, a segunda frase se liga à primeira. Como isto acontece? Ele refrigera a alma quando nos guia nos caminhos certos, por amor a ele mesmo. Não é por mérito nosso, mas porque ele tem prazer nisto. A mensagem bíblica é de um Deus que ama e que cuida (1Jo 4.8).

 

V. 4 – Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam  – Quando a situação ficar difícil, beirando a morte, aquele que confia não teme. Tem experiência do cuidado divino, sabe de sua companhia constante. Seu consolo vem da vara (disciplina) e do cuidado (cajado). Deus cuida e ensina. Cuidado e disciplina caminham juntos.

 

V.  5 – Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos; unges com óleo a minha cabeça, o meu cálice transborda – Agora a linguagem é de trato humano. Comer com alguém era ter amizade com este alguém. “Ungir” não é unção sacerdotal, mas, literalmente “passar gordura”. Era para que a pessoa não sofresse insolação no deserto. Ele faz isso com a ovelha. Cálice cheio era sinal de favoritismo. Veja Gênesis 43.34. O Senhor é amigo, cuida de nosso bem-estar e mostra que tem cuidado especial por nós. Veja Êxodo 11.7.

 

V. 6 – Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida, e habitarei na casa do Senhor por longos dias – O fiel tem a certeza de que é acompanhado pela bondade (tôv, o que é bom) e pela misericórdia (hesed, o amor eterno). O fiel é acompanhado, todos os dias, pelas boas coisas de Deus e por seu amor que nunca se acaba. E, quando ele morrer, vai morar na casa do Senhor para sempre.

 

CONCLUSÃO

Um salmo que fala do cuidado de Deus. Quem confia nele, de todo coração, pode descansar. Ele cuida. Sobre quem é este pastor, lembremos destas palavras de Jesus: João 10.11 e 10.14. Aquele que confia em Jesus pode ter a certeza de confiou a vida a quem tem autoridade e interesse.

 

 

SANTOS ENTRE TAÇAS DE VINHO

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

 

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 17.7.11

 

 

Para alguns, filósofo é quem emite frases de efeito ou tem idéias exóticas. O filósofo é um pensador, um analista de sua época, não cooptado pelo banal. Neste sentido, Luiz Felipe Pondé é um filósofo. E dá excelente entrevista à “Veja”, de 13.7.11. O título é “Santos entre taças de vinho”. Os cristãos deveriam ler. Continue lendo SANTOS ENTRE TAÇAS DE VINHO

“FALACIAS E VERDADES” OU: “MAÍLSON DA NÓBREGA: PERGUNTE ANTES DE AFIRMAR”

 

Isaltino Gomes Coelho Filho

 

Na revista “Veja”, de 29.6.11, Maílson da Nóbrega, postou o artigo “Falácias e verdades”. Sempre leio sua coluna, porque desejo compreender matérias sobre as quais não estudei. Ele é economista e sabe Economia. Como estudei outras disciplinas, mas não esta, aprendo dele. Mas no “Falácias e verdades” ele sai da área da economia e cita a Bíblia. Como acontece com as pessoas que se aventuram a fazê-lo sem a conhecer, se equivoca duas vezes.

 

O primeiro equívoco é quando Maílson afirma: “O Sol, dizia a Bíblia, girava em torno da Terra”.  O segundo é quando diz que Galileu, que negou esta posição, chamada geocentrismo, e  afirmou o heliocentrismo (o Sol é o centro, e não a Terra), teve que se retratar “para não ser queimado vivo pela Inquisição”.

Continue lendo “FALACIAS E VERDADES” OU: “MAÍLSON DA NÓBREGA: PERGUNTE ANTES DE AFIRMAR”

NINGUÉM QUIS COMPRAR MEU COMPUTADOR!

 

 

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

 

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 10.7.2011

 

 

Já tinha pregado várias vezes aqui na Central de Macapá. A primeira vez foi quando fui orador da assembléia da convenção estadual, em 2009. Gostei da igreja, de cara.  Mas a primeira mensagem como seu pastor foi na manhã imediata à minha posse. Preguei sobre 2Timóteo 4.10. O tema foi “Demas me abandonou”, e falei sobre crentes que desertam do seu posto e o prejuízo que causam à obra. Na conclusão, disse que aproveitaria que era a minha primeira mensagem como pastor da igreja e que todos estavam prestando atenção, para vender um computador. E projetei o anúncio da venda de meu computador, pelo multimídia.

Continue lendo NINGUÉM QUIS COMPRAR MEU COMPUTADOR!

JESUS E A LEI DE MOISÉS

Isaltino Gomes Coelho Filho

 

“Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas; não vim destruir, mas cumprir. Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, de modo nenhum passará da lei um só i ou um só til, até que tudo seja cumprido. Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus. Pois eu vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus” (Mt 5.17-20).

 

Publicado originalmente na revista “Você”. Postado no site por deferência da revista.

 

A relação entre Jesus e a Lei tem sido muito debatida. Não esgotaremos o assunto aqui, mas podemos dar algo por certo: ele não a aboliu: “Não penseis que vim destruir a lei ou os profetas”. Mas ele a reinterpretou, ou seja, ele lhe deu novo sentido. Em várias ocasiões ele citou algo que a Lei dizia e a seguir disse: “Eu, porém”, dando sua interpretação: Mateus 5.21-22, 27-28, 31-32, 33-34, 38-39 e 19.8-9. Afinal, foi dele que Moisés, que entregou a Lei a Israel, escreveu: João 1.45 e 5.46.

Continue lendo JESUS E A LEI DE MOISÉS

GRANDE CONFLICTO… BENGALADAS E SOCCOS

 

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

 

Pastoral do boletim da Igreja Batista Central de Macapá, 3.7.11

 

 

Vinda  de Brasília, Meacir me traz “O Estado de S. Paulo”.  Ler o “Estadão” em Macapá é um refrigério! Nele li a coluna “Há um século”, noticiando o que aconteceu em 26 de junho de 1911. No Rio de Janeiro “houve um jogo de foot-ball entre Botafogo Foot-ball Club e America Foot-ball Club”. Cada “equipo fez um goal”, e “formou-se grande conflicto, havendo troca de bengaladas e soccos”. A grafia é de 1911. Mudou de lá para cá. Mas as pessoas não mudaram.

Continue lendo GRANDE CONFLICTO… BENGALADAS E SOCCOS

O VINHO NOVO É MELHOR

João 2.1-11

 

Pr.  Isaltino Gomes Coelho Filho

(Apresentado como aula magna à Faculdade Teológica Batista de S. Paulo, em 3.8.98)

 

INTRODUÇÃO

Na estrutura do quarto evangelho, este é o primeiro milagre de Jesus.  No evangelho de Mateus, o primeiro milagre é a cura de um leproso (8.1). No de Marcos, é a cura de um endemoninhado. Em João é a transformação de água em vinho, num casamento numa aldeia obscura. Em Mateus e Marcos, uma pessoa é curada e uma vida é transformada. Em João, é um acontecimento comezinho, que não modifica vida nenhuma. Um episódio que poderia se chamar de pouco relevante.

Em João 20.20-31 lemos que os sinais que estão registrados no quarto evangelho assim o foram para que os leitores cressem que Jesus  é o Cristo, o Filho de Deus, e assim, crendo, tivessem vida em seu nome. A escolha deste evento e sua inserção  como o primeiro milagre de Jesus faz parte do plano de trabalho de João. Foi colocado ali premeditadamente. Não é um acidente. Quer dizer alguma coisa. Há uma mensagem na estrutura bem planejada do quarto evangelho e João nos ensina tanto pelo que diz como pela forma que diz. Ensina no conteúdo e na forma. Continue lendo O VINHO NOVO É MELHOR