Arquivo mensais:fevereiro 2007

Por Trás de Amazing Grace

Por Trás de Amazing Grace

A Vida de William Wilberforce nos cinemas 

Os cristãos à volta do mundo foram convidados a entoar o famoso hino Amazing Grace no Domingo 18 de Fevereiro de 2007, no que foi consagrado como Amazing Grace Sunday,  em acção de graças pelo segundo centenário da abolição da escravatura e em intercessão pela libertação de homens, mulheres e crianças ainda hoje escravizados. A iniciativa foi articulada com o lançamento do filme Amazing Grace e teve o apoio da Aliança Evangélica Mundial.

Continue lendo Por Trás de Amazing Grace

O Crescimento É De Dentro Para Fora

O Crescimento É De Dentro Para Fora

          Eis o quarto item de nossa filosofia ministerial: O CRESCIMENTO É DE DENTRO PARA FORA. No anterior tratamos da celebração da fé. Neste, da comunicação da fé. A vida cristã não pode ser intimista (“eu e Deus”). É contagiosa: “Eu, Deus e outros”. Um convertido tem prazer em repartir o que crê.  Faz suas as palavras de Pedro e João: “Pois não podemos deixar de falar daquilo que temos visto e ouvido” (At 4.20). Como disse Bernanos, “os convertidos são incômodos”.

Continue lendo O Crescimento É De Dentro Para Fora

Até Que Outro Crime Nos Choque

Até Que Outro Crime Nos Choque
 

            Um menino de 6 anos foi arrastado por 7 km por bandidos, no Rio de Janeiro. Ele ficou preso, pelo cinto de segurança, do lado de fora do veículo. O corpo foi quicando, durante a fuga. Ficou uma pasta de carne humana. O Sargento Navega, que encontrou o carro, disse: “Era um pedaço de carne, já sem roupa, destruído. Mas eu sabia que era uma criança. Peguei o rádio, mas não conseguia me expressar. A voz embargou”. Disse mais o militar:  “Eles tiveram oportunidade de deixar a criança com a mãe. Era só deixar o menino descer. Eles não têm Deus no coração”.

Continue lendo Até Que Outro Crime Nos Choque

Onde Estão Os Mortos?

Onde Estão Os Mortos?

 

Ebenézer Soares Ferreira

Os justos, ao morrerem, vão logo para o céu. Há pessoas que procuram contestar o ensino claro das Escrituras sobre o estado desincorporado dos mortos. Baseiam-se elas em textos bíblicos que nada lhes oferecem para escorar sua doutrina do "sono da alma", que é, especialmente, esposada pelos sabatistas. Em Lucas 23.43, se lê: "Respondeu-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso". Para que sirva aos seus planos doutrinários, eles colocam dois pontos após a palavra hoje e, assim, fica o texto: "Respondeu-lhe Jesus: Em verdade te digo hoje: estarás comigo no paraíso". Deste modo, o texto fica totalmente modificado. Segundo essa leitura, um dia o crente irá para a bem-aventurança eterna. Mas não se sabe quando.

Continue lendo Onde Estão Os Mortos?

A Ênfase é na Palavra

A Ênfase é na Palavra
 

                Eis o terceiro item de nossa filosofia ministerial: A ÊNFASE É NA PALAVRA. A Igreja do Cambuí prioriza o ensino da Bíblia. O pastor não é um guru com uma revelação nova, que substitui a Bíblia. O princípio teológico é este: todo e qualquer ensino ministrado na igreja, no púlpito, nas classes e até mesmo nos lares (se sob a égide da Igreja) deve ser analisado pela Bíblia.

Continue lendo A Ênfase é na Palavra

De servos apascentadores a gerentes eclesiásticos

De servos apascentadores a gerentes eclesiásticos

A sociedade de consumo dos shoppings e do fast food se instalou no mundo sem fronteiras e faz a cabeça da humanidade, inclusive dos evangélicos. Não é incomum encontrar em nossas igrejas pessoas que esperam da igreja shows e atendimentos de boa qualidade e de resultados rápidos. É óbvio que querer o melhor daqueles que se dizem representantes do melhor é algo perfeitamente normal. É nesse cenário que a igreja evangélica brasileira se encontra e tem que fazer a sua escolha. A igreja precisa decidir entre oferecer alimento sólido e preparar uma geração de autênticos discípulos e adoradores do Senhor Jesus Cristo ou simplesmente agradar uma humanidade que se encontra perdida, à semelhança de ovelhas sem pastor. A escolha da igreja vai fazer a diferença entre a maturidade cristã e a mediocridade de uma religiosidade cristã.

Continue lendo De servos apascentadores a gerentes eclesiásticos

A Igreja celebra sua fé sem rigidez, mas sem artificialismo

A Igreja celebra sua fé sem rigidez, mas sem artificialismo
 

            Este é o segundo item de nossa filosofia ministerial: A IGREJA CELEBRA SUA FÉ SEM RIGIDEZ, MAS SEM ARTIFICIALISMO. O primeiro item diz respeito à essência da igreja. O segundo diz respeito ao culto. Nos anos sessentas, as discussões nas igrejas eram por questões doutrinárias. Atualmente são sobre a forma do culto.  A maior parte dos problemas está na celebração da fé.

Continue lendo A Igreja celebra sua fé sem rigidez, mas sem artificialismo